Tag Archives: tigelada

Tigeladas de Abrantes

Estes famosos doces de origem conventual também são conhecidos como Tigeladas de Rio de Moinhos, uma freguesia pertencente ao concelho de AbrantesNo entanto, a receita é efetivamente originária de Abrantes, tendo nascido no Convento de Nossa Senhora da Graça (vulgo Convento da Graça). Conta a história que as freiras dominicanas daquele convento terão ensinado o segredo do doce a uma lavadeira de Rio de Moinhos que aí prestava serviços e esta, por sua vez, terá oferecido a receita a uma amiga. Assim se começou a divulgar esta especialidade pela região, tendo-se tornado particularmente conhecida em Ferreira do Zêzere.

A par com a Palha de Abrantes (Fios de Ovos), a tigelada é o doce conventual mais conhecido desta cidade ribatejana, no distrito de Santarém. Confecionadas com açúcar, leite, farinha, ovos, raspa de limão e canela, estes bolos devem o seu nome ao facto de serem tradicionalmente cozidos em tigelas de barro vermelho não vidrado (e sem qualquer gordura).

Ingredientes:

  • 1 colher (café) de canela em pó
  • 1 litro de leite
  • 1 pitada de sal fino
  • 12 ovos
  • 125 g de farinha de trigo
  • 500 g de açúcar

Confeção do modo Tradicional:

Ligue o forno a 220º C e coloque lá dentro as tigelas de barro, vazias e bem enxutas, deixando-as aquecer cerca de 30 minutos.

Num recipiente alto, bata muito bem os ovos com o açúcar, a raspa de limão, a canela e o sal.

Acrescente a farinha e o leite, em fio, ligando muito bem os ingredientes até obter um preparado cremoso e homogéneo.

Quando as tigelas estiverem bem quentes, encha-as com o preparado, se possível dentro do forno para que não arrefeçam. Use uma concha ou recipiente de cabo comprido para chegar a todas as tigelas sem se queimar.

Deixe cozer cerca de 15 minutos, verificando a consistência antes de as retirar.

Desenforme as tigeladas assim que saírem do forno e sirva-as frias.

Preparação na Bimby:

Ligue o forno a 220º C e coloque lá dentro as tigelas de barro, vazias e bem enxutas, deixando-as aquecer cerca de 30 minutos.

Coloque no copo os ovos, o açúcar, a canela, o sal e a raspa de limão. Programe 5 min/ 37º C/ vel 3.

Adicione a farinha e envolva, durante 10 seg/ vel 3.

Programe 3 min/ vel 3 e deite o leite, em fio, pelo bocal da tampa.

Quando as tigelas estiverem bem quentes, encha-as com o preparado, se possível dentro do forno para que não arrefeçam. Use uma concha ou recipiente de cabo comprido para chegar a todas as tigelas sem se queimar.

Deixe cozer cerca de 15 minutos, verificando a consistência antes de as retirar.

Desenforme as tigeladas assim que saírem do forno e sirva-as frias.

Foto: Cuisine Portugaise, “Tigeladas de Abrantes, Portugal”

Tigeladas de Ferreira do Zêzere

Existem na doçaria tradicional portuguesa diferentes receitas das famosas tigeladas, que variam consoante a região. As tigeladas à moda de Ferreira do Zêzere, no distrito de Santarém, são uma das mais afamadas receitas deste doce de origem conventual, que se popularizou por todo o país e que terá tido a sua origem no convento da Graça, em Abrantes.

Estes bolos devem o seu nome às tigelas de barro onde são cozidas.

Ingredientes:

  • 1 chávena (bem cheia) de farinha de trigo
  • 1 litro de leite
  • 4 ovos inteiros + 16 gemas
  • 500 g de açúcar
  • raspa de 1 limão

Confeção do modo Tradicional:

Ligue o forno a 220º C.

Bata muito bem (cerca de ½ hora à mão ou 10 minutos na batedeira elétrica) os ovos, as gemas e o açúcar com a raspa do limão, juntando a farinha a pouco e pouco. Note que, se bater os ingredientes à máquina, as tigeladas ficam mais rijas.

Adicione o leite e envolva bem.

Deite cuidadosamente o preparado em tigelas de barro não vidrado, bem quentes, tendo o cuidado de não as deixar demasiado cheias.

Leve as tigeladas a cozer, cerca de 25 minutos ou até estarem douradinhas.

Deixe arrefecer no forno com a porta entreaberta.

Preparação na Bimby:

Ligue o forno a 220º C.

Deite no copo o açúcar e a casca de limão. Triture 10 seg/ vel 9.

Acrescente as gemas e os ovos e programe 5 min/ 37º C/ vel 3.

Adicione a farinha e programar 10 seg/ vel 3.

Amasse durante 3 min/ vel 3 e adicione o leite, em fio, pelo bocal da tampa.

Deite cuidadosamente o preparado em tigelas de barro não vidrado, bem quentes, tendo o cuidado de não as deixar demasiado cheias.

Leve as tigeladas a cozer, cerca de 25 minutos ou até estarem douradinhas.

Deixe arrefecer no forno com a porta entreaberta.

NOTA:

As tigelas de barro têm de estar mesmo bem quentes quando deita o preparado nelas, pois é esse choque térmico que provoca a textura tipicamente esburacada das tigeladas. Para facilitar o processo, poderá pôr as tigelas a aquecer quando liga o forno.

SUGESTÃO:

Para aproveitar tão grande quantidade de claras, sugerimos dois bolos verdadeiramente deliciosos (clique no nome para ver as receitas): Bolo BrancoBolo em Camadas com Champanhe.

Tigelada (Vila Velha de Ródão)

Vila Velha de Ródão é uma vila do distrito de Castelo Branco, na região fronteiriça com Espanha. A tigelada é uma das iguarias que marcam a gastronomia regional, sendo considerada por muitos a mais deliciosa sobremesa beirã. Existem na região diversas receitas deste doce, mas em todas elas a tigelada vai a cozer ao forno em tachos de barro vidrado (caçoilos).

Em Vila Velha de Ródão,  a tigelada está associada às festividades, sendo presença incontornável nas celebrações da Páscoa ou nas festas de casamento.

Ingredientes:

  • 10 ovos
  • 1 casca de limão
  • 1 colher de farinha de trigo
  • 1 litro de leite
  • 1 pitada de canela
  • 250 g de açúcar

Confeção:

Bata bem os ovos com o açúcar, a casca de limão, a farinha e a canela.

Adicione o leite e misture tudo muito bem.

Deite o preparado num caçoilo de barro (previamente aquecido no forno) e leve a cozer em forno quente.

Tigelada da Beira

Esta tigelada é um doce regional da Beira que se serve especialmente como sobremesa de Páscoa, mas é uma receita apreciada durante todo o ano, não só na região norte de Portugal.

Ingredientes:

(para 8 pessoas)
  • 1 litro de leite
  • 2 colheres (chá) de canela
  • 2 colheres (sopa) de farinha
  • 350 g de açúcar
  • 8 ovos

Confeção:

Coloque no forno (bastante quente) um tacho de barro vidrado a aquecer.

Bata muito bem os ovos com a canela.

Dissolva a farinha num pouco de leite frio, acrescente o restante e, em seguida, junte-o aos ovos, com o açúcar. Mexa muito bem.

Deite o preparado no tacho de barro e deixe a tigelada cozer durante cerca de 1 hora, até atingir o ponto de bolo.

Tigelada da Beira Baixa

Este doce, típico da Beira Baixa, era tradicionalmente confecionado em caçoilos de barro e não em tigelas como as demais receitas existentes em Portugal. A tigelada era geralmente cozida num forno a lenha, por norma um forno comunitário, a seguir à fornada do pão, ou após se ter assado um cabrito, para aproveitar o forno já bem quente.

O doce era feito sobretudo a partir do início do verão, altura do ano em que se começa a crestar as colmeias. Um outro aspeto interessante é que o leite utilizado era o de cabra, dado ser o leite produzido na região, dando um gosto característico à tigelada.

Ingredientes:

  • 1 colher (sopa) de mel
  • 1 l de leite
  • 2 colheres (sopa) mal cheias de farinha de trigo
  • 500 g de açúcar escuro
  • 7 ovos
  • raspa de limão
  • azeite q.b.

Confeção:

Unte caçoilos de barro vidrado vermelho com azeite e meta-os em forno bem quente.

Bata muito bem os ovos com o açúcar, o mel e casca de limão. Esta fase da receita é normalmente manual para ser batida com força.

Adicione a farinha e dissolva tudo com o leite.

Sem retirar os caçoilos do forno, encha-os com a ajuda de uma concha.

Deixe-as cozer até ficarem com a consistência de pudim.

Sirva as tigeladas nos caçoilos onde foram cozidas.