Tag Archives: doces regionais

Azevias de Grão (Alentejo)

As azevias, tal como as filhós, são dos doces de Natal que têm uma presença mais marcante à mesa das famílias portuguesas. De todas, as azevias de grão são das mais apreciadas.

Esta receita regional, além do grão, inclui ingredientes como a amêndoa, que tornam o recheio ainda mais apetitoso.

Ingredientes:

  • 1 chávena de água
  • 1 colher (chá) de canela
  • 1 colher (sopa) de suco de limão
  • 1 pitada de sal
  • 125 g de miolo de amêndoa
  • 2 tigelas de grão
  • 4 cascas de limão
  • 600 g de açúcar amarelo
  • 750 g de massa tenra
  • açúcar e canela p/ polvilhar

Confeção:

Esfregue os grãos demolhados para soltar as peles e leve-os a cozer em água temperada com sal até ficarem macios. Escorra e reduza-os a puré.

Prepare uma calda com o açúcar, a água e as cascas de limão e ferver aproximadamente 10 minutos, sendo que a calda deve ficar espessa).

Junte o polme de grão, o miolo de amêndoa e a canela.

Deixe apurar, mexendo sempre até fazer estrada (ao passar a colher, faz-se uma abertura, como se fosse uma estrada) e junte o suco de limão. Reserve.

Entretanto, estenda a massa tenra com um rolo e corte-a em rodelas.

Recheie com o doce já frio, feche os pastéis e espalme as beiras.

Frite as azevias em bastante azeite, até ficarem douradas dos dois lados. Polvilhe com açúcar e canela.

Bolo Podre (Estremoz)

O bolo podre é uma receita muito popular em Portugal, conhecendo algumas variantes regionais. Nesta receita de Estremoz prevalecem ingredientes tipicamente alentejanos, com especial destaque para o mel e as especiarias.

O bolo fica macio e aromático, resultando numa deliciosa combinação de sabores. Perfeito para o lanche, a acompanhar uma chávena de café ou um chá quente.

Ingredientes:

  • 1 colher (chá) de canela
  • 1 colher (chá) de erva-doce em pó
  • 1 colher (chá) de fermento
  • 125 g de mel
  • 130 g de farinha
  • 6 ovos
  • 75 g de manteiga
  • 80 g de açúcar
  • raspa e suco de ½ laranja

Confeção:

Separe as claras das gemas e bata estas últimas com o mel, o fermento, o açúcar, a erva doce e a canela, a manteiga derretida, a raspa e o suco de laranja.

Junte a farinha e bata bem.

Bata as claras em castelo firme e acrescente-as ao preparado anterior, ligando-as de baixo para cima.

Deite a massa numa forma untada e polvilhada até atingir ¾ da altura. Tape com uma folha de alumínio untada e leve ao forno, previamente aquecido a 200º C, durante 20 minutos. Passado este tempo, tire a folha de alumínio e deixe aloirar mais 5 minutos.

Retire o bolo do forno, deixe arrefecer e desenforme.

Se desejar, poderá regar o bolo com mel aquecido. Para tal, pique a massa com um garfo, deitando depois o mel sobre o bolo.

Broas de Alpiarça

A vila de Alpiarça, no distrito de Santarém, tem um património vasto de doces regionais, no qual se incluem estas maravilhosas broas. Também existem nesta mesma localidade as broas fritas, que diferem desta, não só pelos ingredientes, mas também pela forma como são cozinhadas.

Ingredientes:

  • 1 colher (café) de canela
  • 1 colher (café) de erva-doce moída
  • 1 pitada de sal
  • 100 ml de água
  • 120 g de açúcar amarelo
  • 250 g de farinha
  • 50 g de miolo de amêndoa
  • 50 ml de mel
  • cravinho moído q.b.
  • gema p/ pincelar

Confeção:

Misture o mel, o açúcar, a canela, a erva-doce, a água, o sal e o cravinho num recipiente, envolvendo bem todos os ingredientes.

Leve o preparado ao lume, entre 4 a 6 minutos, sem parar de mexer.

Retire do lume e junte toda a farinha. Mexa bem e leve novamente ao lume até cozer.

Deixe a massa arrefecer e, entretanto, pele e rale as amêndoas, deixando algumas para a decoração.

Quando a massa estiver quase fria, molde as broas  da forma que desejar. Por cima de cada uma, coloque uma amêndoa inteira e pincele com gema.

Disponha as broas num tabuleiro untado com azeite e leve-as a cozer no forno, a 180º C, durante 20 minutos.

Pés de Abóbora (Ribatejo)

Os pés de abóbora são fritos tradicionais da antiga região do Ribatejo, mais marcadamente no distrito de Santarém, sendo ideais para saborear nas épocas festivas em que abundam os doces fritos, como no Natal.

Com uma apresentação que faz lembrar os churros, o seu nome deve-se ao facto de, visualmente, se assemelharem aos pés de abóbora, com o seu torcido característico.

Ingredientes:

  • 1 chávena de farinha
  • 1 ou 2 ovos
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 cálice de vinho do Porto
  • 2 cascas de limão
  • água e sal q.b.
  • azeite ou óleo p/ fritar
  • açúcar e canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve uma chávena de água ao lume com a manteiga, sal e as cascas de limão.

Depois de ferver um pouco, junte a farinha e mexa. Deixe a farinha absorver a água sem deixar cozer a massa.

Retire do lume e, mexendo sempre, junte o vinho do Porto e os ovos, um de cada vez, mexendo bem até estar tudo ligado.

Ponha a massa numa seringa de bico (ou disco canelado) e deite no azeite bem quente, em pedaços com cerca de 15 cm, os quais cortam com uma faca.

Polvilhe os pés de abóbora com açúcar e canela enquanto quentes.

Barriga de Freira do Vaticano (Monção)

Esta sobremesa é uma variante regional da tradicional Sopa Dourada, também designada localmente Doce de Chavo. Tem origem na doçaria conventual, sendo um doce regional típico da região de Monção, situada no norte de Portugal.

No essencial, destaca-se da receita tradicional de barriga de freira por ser feita à base de pão de ló e não do miolo de pão simples. Além disso, são usadas cerejas cristalizadas na decoração, ingrediente que não aparece nas restantes variantes do doce.

Ingredientes:

Para o doce
  • 125 g de amêndoas
  • 20 ml de água
  • 250 g de pão de ló
  • 500 g de açúcar
  • 9 gemas + 1 ovo inteiro
Para a decoração
  • canela p/ polvilhar
  • cerejas cristalizadas q.b.

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com a água, até obter ponto de pasta.

Corte o pão de ló em fatias, disponha-as numa travessa e regue com metade do açú­car em ponto. Reserve.

Pele as amêndoas e passe-as pela trituradora, juntando-as depois à restante calda de açúcar. Adicione as gemas e o ovo, bem batidos. Misture tudo muito bem e leve a lume brando, mexendo sempre até engrossar.

Retire do calor e deite sobre as fatias de pão de ló, de forma a cobrir tudo. Polvilhe o doce com canela e enfeite com cerejas cristalizadas.