Tag Archives: mel

Mexidos do Natal

O Natal é a época do anos em que mais abundam as receitas tradicionais. Os mexidos não podem faltar na ceia natalícia do Minho, sendo  “o mais solene banquete da família minhota”, como escreveu Ramalho Ortigão.

Feitos com frutos secos, vinho do Porto, miolo de pão e uma quantidade considerável de gemas, os mexidos são doces natalícios que marcam pelo seu maravilhoso sabor, riqueza de ingredientes e diversidade de texturas. Um doce tradicional português que merece ser divulgado!

Ingredientes:

  • 1 cálice de vinho do Porto
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 pau de canela
  • 1,5 l de água
  • 10 gemas
  • 250 ml de mel
  • 250 g de açúcar
  • 250 g de miolo de pão (de preferência, tipo cacete)
  • 50 g de nozes picadas
  • 50 g de passas
  • 50 g de pinhões
  • casca de ½ limão
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve a água ao lume com o açúcar, a casca de limão, o pau de canela e o mel até atingir o ponto de espadana (a calda corre com o aspeto de lâmina).

Retire do lume, corte o pão em fatias muito finas e junte ao preparado anterior, mexendo bem para o desfazer sem formar grumos.

Acrescente os frutos secos, o vinho do Porto e as gemas mexidas.

Leve novamente ao lume, mexendo sempre, sem deixar talhar as gemas. Retire do calor e acrescente a manteiga.

Deite os mexidos num prato fundo e polvilhe com canela.

Rabanadas com Mel

As rabanadas regadas com mel conhecem algumas variantes regionais em Portugal, sendo um doce de Natal muito popular por todo o Minho.

Depois de fritas, as rabanadas são polvilhadas com canela e regadas com mel quando já estiveram na travessa. Que delícia!

Ingredientes:

  • 1 pão
  • 4 ovos
  • 1 chávena de mel
  • canela q.b.
  • leite q.b.
  • açúcar q.b.

Confeção:

Corte o pão em fatias (2 cm aprox.) e coloque num recipiente fundo.

Deite o leite, previamente misturado com o açúcar e a canela. Quando o pão estiver bem embebido, retire, escorra com cuidado e passe pelos ovos ligeiramente batidos.

Ponha uma frigideira grande ao lume com bastante óleo.

Frite poucas rabanadas de cada vez (2 ou 3 fatias no máximo). Ponha sobre o papel absorvente para retirar o excesso de gordura.

Coloque as rabanadas numa travessa, polvilhe com canela e regue com mel.

Foto de desafiosgastronomicos.blogspot.com

Panetone Tradicional (Itália)

O panetone é um doce tradicional de Natal oriundo de Milão, no norte da Itália. É um pão doce com um aroma suave de baunilha e recheado com frutas secas e cristalizadas.

Em termos nutricionais, o panetone é muito rico em hidratos de carbono, tendo também uma grande quantidade de gordura. Por isso, é um bolo muito calórico – a título de exemplo, uma fatia de aproximadamente 80 gramas tem cerca de 280 calorias.

Ingredientes:

  • ½ chávena (chá) de leite
  • ½ chávena (chá) de mel
  • ½ colher (chá) de sal
  • ½ colher (sopa) de essência de panetone
  • 1 chávena (café) de açúcar
  • 1 chávena (café) de óleo de milho
  • 1 gema
  • 1 ovo inteiro
  • 30 g de fermento biológico
  • 250 g de frutas cristalizadas
  • 3,5 chávenas (chá) de farinha

Confeção:

Misture o leite e o açúcar e leve ao lume até amornar.

Ponha o leite numa tigela, junte o fermento e mexa até dissolver.

Junte 1 chávena de farinha, mexendo até a massa ficar homogénea. Cubra com película aderente e deixe levedar durante 30 minutos em local aquecido.

Enquanto isso, leve o óleo e o mel a levantar fervura. Retire e deixe amornar um pouco.

Junte o ovo, a gema e a essência de panetone, batendo sempre. Reserve.

À parte, misture a farinha restante com o sal. Adicione à massa já crescida o creme de ovos, alternando com a farinha e misturando sempre.

Em seguida, ponha a massa numa superfície polvilhada e bata durante 15 minutos, ou até esta se soltar das mãos.

Coloque a massa numa tigela, cubra novamente com película aderente e deixe crescer durante mais 45 minutos em local aquecido.

Abra a massa e espalhe as frutas cristalizadas. Enrole como se fosse uma torta e coloque numa forma de papel próprias para panetone com capacidade para 500 gramas. Ponha a massa até a metade da altura e deixe crescer mais 30 minutos.

Ligue o forno a temperatura média e leve a cozer durante 45 minutos, ou até o panetone dourar.

 

Sabia que…

Há várias lendas alusivas à criação deste doce natalício. Uma das mais difundidas diz a que o doce surgiu no século XV, partindo do amor de um rapaz pela filha de um padeiro. O rapaz, Toni, que não fora aprovado pelo pai da moça, disfarçou-se de ajudante de padeiro e preparou um pão doce diferente, tanto pelo tamanho como pelo formato, que parecia o de uma igreja. O pão começou a fazer tanto sucesso que todos queriam saborear tal novidade e o rapaz atribuiu a receita ao pai da rapariga. Os anos passaram e o pão passou a ser conhecido como “pan di Toni“, atualmente designado panetone.
Independentemente da sua origem, este doce é hoje em dia conhecido e apreciado em todo o mundo, sendo mesmo a base de variadíssimas outras receitas.

Rabanadas de Mel (Chamusca)

Estas rabanadas, também conhecidas como Rabanadas Ricas, são típicas da Chamusca, no distrito de Santarém. Feitas com pão, leite, açúcar e ovos, são depois passadas por uma calda de mel e vinho do Porto e polvilhadas com canela. Deliciosas!

Ingredientes:

Para as rabanadas
  • pão de véspera (sem buracos)
  • leite q.b.
  • açúcar q.b.
  • 3 ovos
Para a calda
  • 200 ml de mel
  • 100 ml de vinho do Porto
  • 250 ml de água
Para a cobertura
  • canela q.b.

Confeção:

Passe as fatias de pão por leite açucarado, escorra-as e passe-as pelos ovos batidos.

Frite as fatias em azeite, deixe-as escorrer e coloque-as num prato largo.

Prepare logo a seguir a calda, levando a lume brando a água com o mel e o vinho do Porto. Deixe ferver lentamente até fazer xarope.

Regue as rabanadas com a calda e polvilhe com canela.

Bolo Podre (Estremoz)

O bolo podre é uma receita muito popular em Portugal, conhecendo algumas variantes regionais. Nesta receita de Estremoz prevalecem ingredientes tipicamente alentejanos, com especial destaque para o mel e as especiarias.

O bolo fica macio e aromático, resultando numa deliciosa combinação de sabores. Perfeito para o lanche, a acompanhar uma chávena de café ou um chá quente.

Ingredientes:

  • 1 colher (chá) de canela
  • 1 colher (chá) de erva-doce em pó
  • 1 colher (chá) de fermento
  • 125 g de mel
  • 130 g de farinha
  • 6 ovos
  • 75 g de manteiga
  • 80 g de açúcar
  • raspa e suco de ½ laranja

Confeção:

Separe as claras das gemas e bata estas últimas com o mel, o fermento, o açúcar, a erva doce e a canela, a manteiga derretida, a raspa e o suco de laranja.

Junte a farinha e bata bem.

Bata as claras em castelo firme e acrescente-as ao preparado anterior, ligando-as de baixo para cima.

Deite a massa numa forma untada e polvilhada até atingir ¾ da altura. Tape com uma folha de alumínio untada e leve ao forno, previamente aquecido a 200º C, durante 20 minutos. Passado este tempo, tire a folha de alumínio e deixe aloirar mais 5 minutos.

Retire o bolo do forno, deixe arrefecer e desenforme.

Se desejar, poderá regar o bolo com mel aquecido. Para tal, pique a massa com um garfo, deitando depois o mel sobre o bolo.