Tag Archives: cozinha portuguesa

Filhós de Forma com Calda

Este é um doce tradicional da cozinha portuguesa, normalmente confecionado na quadra de Natal e ano novo. A massa é em tudo idêntica à das restantes filhós, mas estas ficam com uma consistência que permite criar uma camada para aderirem à forma onde vão fritar.

Embora possam ser servidas do modo tradicional, polvilhadas com açúcar e canela, nesta receita são regadas com uma calda de açúcar com Vinho do Porto, laranja e canela, que deixa as filhós firmes durante alguns dias.

Ingredientes:

Para as filhós
  • ½ litro de azeite fino
  • 100 g de manteiga
  • 20 ovos
  • 70 g de açúcar
  • farinha q.b.
  • suco de 1 laranja
Para a calda
  • 100 ml de Vinho do Porto (opcional)
  • 200 ml de água
  • 3 paus de canela
  • 400 g de açúcar
  • casca de 1 laranja

Confeção:

Num alguidar de barro vidrado, amasse o açúcar, a manteiga derretida, os ovos e o suco da laranja.

Depois de tudo bem ligado, junte a farinha, aos poucos, até ficar um creme não muito espesso.

Tape a massa e deixe repousar durante ½ hora.

Leve o azeite ao lume e, quando ferver, mergulhe nele uma forma especial para filhós (para aquecer).

Quando a forma estiver quente, afunde-a na massa, meio centímetro abaixo da parte superior, mergulhando-a em seguida no azeite a ferver. Sacuda para a filhó cair no azeite, onde fica até estar bem loura de todos os lados.

Tiradas as filhós da fritura, ponha-as a escorrer.

Para a calda, leve ao lume o açúcar com a água, o Vinho do Porto, a casca de laranja, cortada bem fina, e os paus de canela.

Quando começar a ferver, deixe no lume mais 5 minutos e retire.

Passe as filhós pela calda e sirva.

Mexidos de Amêndoa

Esta é mais uma receita tradicional de Natal do riquíssimo património da cozinha portuguesa. Existem diferentes receitas deste doce, que é muito popular por todo o país, mas tem especial relevância na região do norte.

Ingredientes:

  • 1 cálice de Vinho do Porto
  • 1 limão
  • 1 litro de leite
  • 100 g de manteiga
  • 180 g de miolo de amêndoa
  • 200 g de pão
  • 250 g de açúcar
  • 6 gemas
  • missangas coloridas p/ decorar (opcional)

Confeção:

Corte o pão em fatias finas para dentro de uma tigela grande.

Regue o pão com o leite a ferver e misture. Cubra com uma tampa e um pano, deixando repousar até arrefecer.

Passe o preparado por uma peneira e adicione o açúcar e o vinho do Porto.

Junte e misture a amêndoa pelada e grosseiramente picada, a manteiga amolecida e as gemas.

Cozinhe sobre lume brando, mexendo sempre, durante 10 minutos.

Aromatize com a raspa do limão, misture e deite numa travessa.

Se desejar, decore os mexidos com missangas. Deixe arrefecer e sirva.

SUGESTÃO:

Os Ésses de Peniche (receita AQUI) são uma excelente forma de usar as claras que sobraram da preparação dos mexidos.

Leite-creme Conventual

O leite-creme é uma das sobremesas de referência da cozinha tradicional portuguesa. A receita é de origem conventual, havendo inúmeras variantes, todas elas com uma generosa quantidade de gemas. Além de ser perfeito para servir à sobremesa, o leite-creme fica sempre bem numa mesa de festa, sendo presença habitual à mesa nas celebrações do Natal.

A receita aqui apresentada, cujo nome reforça a sua origem, terá sido criada no Convento de S. Bento de Monção, no distrito de Viana do Castelo.

Ingredientes:

  • 1 litro de leite
  • 12 gemas
  • 300 g de açúcar + q.b. p/ queimar
  • 75 g de farinha de trigo
  • casca de 1 limão

Confeção do modo tradicional:

Ferva o leite com a casca de limão. Deixe amornar e retire a casca de limão.

Junte a farinha, em chuva, ao leite e mexa bem para não criar grumos.

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado.

Junte a gemada ao leite e leve ao lume, mexendo sempre com uma vara de arames, até engrossar.

Deite o leite-creme numa travessa ou em taças individuais.

Depois de frio, deite açúcar na superfície e queime com um ferro próprio para o efeito ou com um maçarico de cozinha.

Preparação na Bimby:

Junte todos os ingredientes e programe 12 min./ 90º/ vel. 2 ½.

Retire a casca do limão e deite numa travessa ou em taças individuais. Depois de frio, deite açúcar na superfície e queime o leite-creme com um ferro próprio para o efeito ou com um maçarico de cozinha.

Nota:

As quantidades apresentadas são as da receita tradicional; poderá, no entanto, reduzir a quantidade de gemas e de açúcar, atendendo ao seu gosto pessoal.

SUGESTÃO:

Faça o aproveitamento das claras preparando um Pudim Molotov ou os deliciosos Amores de Azeitão.

Chila Dourada

Esta receita, de origem conventual, é verdadeiramente maravilhosa, sendo excelente para servir na ceia de Natal ou para saborear à sobremesa. É muito fácil de fazer e a preparação é rápida (cerca de 30 minutos).

Já experimentou esta deliciosa receita da cozinha portuguesa?

Ingredientes:

(para 6 pessoas)
  • 500 ml de leite
  • 600 g de doce de chila
  • 8 gemas
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve ao lume o doce de chila e o leite, mexendo sempre até o leite evaporar quase por completo e ficar o preparado com um aspeto cremoso. retire do lume.

Num recipiente à parte, bata as gemas e misture um pouco do creme de chila.

Junte o preparado com as gemas ao doce de chila que se encontra no tacho, envolva bem para ligar. Coloque de novo em lume brando, somente para apurar, mexendo sempre para as gemas não cozerem.

Deite a chila dourada numa travessa ou prato de servir e polvilhe com canela a gosto.

SUGESTÃO:

Faça o aproveitamento das claras, usando-as na preparação do Bolo Branco (veja a receita AQUI).

Foto retirada de http://cozinhadazana.blogspot.pt/

Barriga de Freira (Coimbra)

A cozinha portuguesa é muito marcada pela doçaria conventual. São inúmeras as variantes deste doce conhecido por Barriga de Freira, sendo todas elas confecionadas com muitos ovos e açúcar. A receita aqui apresentada foi criada pelas freiras do Mosteiro de Sta. Maria de Celas, em Coimbra, e integra nos seus ingredientes uma outra especialidade da doçaria coimbrã: as famosas arrufadas.

Ingredientes:

  • 1 arrufada de Coimbra (pequena)
  • 1 casca de limão
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 250 g de açúcar
  • 4 gemas
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com 150 ml de água e a casca de limão. Deixe ferver até obter um xarope fraco (até se pegar ligeiramente aos dedos).

Retire do lume e junte a arrufada, previamente esfarelada à mão, a manteiga e as gemas desfeitas.

Leve novamente ao lume e deixe ferver durante 3 a 4 minutos.

Deite num prato ou em taças e enfeite a barriga de freira com canela.