Tag Archives: corinto

Pudim de Natal

Este pudim, tradicionalmente servido no Natal como parte da ceia da consoada, tem as suas origens na Inglaterra medieval. Na sua confeção entra uma quantidade considerável de passas – corintos e sultanas -, levando também fruta cristalizada e especiarias.

O pudim mantém-se durante vários meses (até um ano), porque contém muito álcool.

Ingredientes:

  • ½ colher (chá) de fermento em pó
  • 1 chávena (café) de leite
  • 1 chávena de açúcar
  • 1 chávena de vinho do Porto
  • 1 colher de bicarbonato de sódio
  • 1 copo de conhaque ou whisky
  • 1 pacote de cidrão
  • 100 g de abóbora cristalizada
  • 125 g de manteiga
  • 150 g de cerejas cristalizadas
  • 2 chávenas de farinha
  • 250 g de corintos
  • 250 g de sultanas
  • 4 ovos

Confeção:

Bata muito bem a manteiga com o açúcar.

Junte os ovos, um a um, e volte a bater bem.

Acrescente os ingredientes secos, previamente peneirados, o leite e o vinho do Porto. Mexa bem.

Por último, deite as frutas e leve a cozer em forno lento, entre 1h e 30m a 2h, numa forma lisa com papel untado de manteiga.

Quando o pudim estiver cozido, retire-o e regue com o conhaque ou whisky. Decore a seu gosto.

Creme de Frutos Secos

Veja como preparar um delicioso creme de frutos secos, aromatizado com baunilha, para servir à sobremesa ou agraciar os seus amigos e familiares num encontro. Como a receita é rápida e fácil de fazer, também a poderá preparar quando receber visitas inesperadas – demora cerca de 25 minutos a preparar e fará as delícias dos seus convidados.

Ingredientes:

(para 4 pessoas)
  • 1 pitada de baunilha em pó
  • 1 pitada de sal fino
  • 130 g de açúcar
  • 2 ovos
  • 30 g de corintos
  • 5 gemas
  • 50 g de miolo de amêndoa com pele
  • 50 g de miolo de pinhão
  • 50 g de sultanas
  • 750 ml de leite
  • 80 g de farinha

Confeção:

Leve o leite a levantar fervura.

Misture o açúcar com a farinha, a baunilha, o sal, os ovos e as gemas. Incorpore-os no leite, mexendo sempre.

Leve o preparado a lume moderado, mexendo regularmente até ganhar consistência.

Quando o creme estiver consistente, retire do lume e acrescente os frutos secos, reservando alguns para a decoração.

Distribua o creme pelas taças e deixe arrefecer.

Sirva a sobremesa fria, decorada com os frutos secos que tinha reservado.

Gelado de Leite Condensado, Natas e Corintos

O leite condensado é um ingrediente doce e muito versátil, fazendo sobremesas deliciosas. Ao fazer um gelado à base de leite condensado e natas, o resultado será um doce cremoso e envolvente, sem quaisquer vestígios de gelo.

A baunilha dá um aroma e sabor inconfundíveis a este gelado, cuja suavidade é contrastada com o crocante das bolachas. Uma sobremesa soberba e deliciosamente irresistível!…

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 pitada de baunilha em pó
  • 100 g de corintos
  • 500 g de natas p/ bater
  • bolachas trituradas q.b.

Confeção:

Coloque o leite condensado no frigorífico, cerca de 12 horas, passando-o depois da lata para uma taça gelada.

Bata até obter um preparado espumoso.

Acrescente as natas geladas, previamente batidas com a baunilha, e reserve no congelador cerca de 1 hora.

Bata mais um pouco e misture os corintos.

Leve novamente ao congelador e deixe solidificar de um dia para o outro.

Sirva o gelado em taças com o fundo forrado com a bolacha triturada.

Bolo de Frutos Secos

Particularmente apreciados nos dias mais frios, devido à consistência dada pelos frutos, este tipo de bolo faz sucesso à mesa no Natal e passagem de ano.

Ingredientes:

  • ½ cálice de aguardente
  • 1 colher (chá) de fermento
  • 155 g de açúcar
  • 200 ml de suco de laranja
  • 200 g de manteiga
  • 25 g de pinhões
  • 380 g de farinha
  • 4 ovos
  • 40 g de amêndoa pelada
  • 50 g  de miolo de noz
  • 50 g de passas e corintos
  • 50 ml de mel
  • 50 ml de vinho do Porto
  • 80 g de frutas cristalizadas
  • canela q.b.
  • raspa de 1 laranja

Confeção:

Unte uma forma de fundo amovível com manteiga e forre o fundo com papel vegetal, também untado. Polvilhe com farinha e reserve.

Ligue o forno a 160° C.

Junte a manteiga com o açúcar e bata até ficar em creme.

Adicione os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição, a farinha, o fermento e a canela. Envolva bem, acrescente o mel, intercalando com a raspa de laranja, a aguardente, o vinho do Porto e o suco de laranja. Mexa bem.

Misture as frutas cristalizadas com os frutos secos (à exceção da amêndoa), polvilhe com um pouco de farinha e envolva-os, delicadamente, na massa.

Deite o preparado na forma, espalhe por cima as amêndoas e leve ao forno, cerca de 30 minutos. Passado este tempo, regule a temperatura do forno para 90° C e deixe cozer mais 50 minutos.

Retire e deixe o bolo arrefecer antes de desenformar.

Pudim de S. Benedito

A cozinha portuguesa tem um património riquíssimo da doçaria conventual. Além de serem doces muito ricos em gemas e açúcar, são todos eles muito vistosos e apelativos, sendo, por isso mesmo, presença frequente à mesa em dias festivos e celebrações especiais.

Este pudim, com a particularidade de ser feito à base de batata, é um dos doces conventuais com que nos podemos deliciar em qualquer altura do ano, sendo particularmente apreciado no Natal.

Ingredientes:

  • 1 colher (sopa) de água morna + q.b. p/ a calda
  • 1 pau de canela
  • 10 gemas
  • 185 g de açúcar
  • 2 claras
  • 3 folhas de gelatina branca
  • 6 batatas médias
  • corintos q.b.
  • raspa de 1 limão

Confeção:

Coza as batatas com a casca. Descasque-as depois de cozidas, reduza-as a puré e reserve.

Leve o açúcar ao lume, coberto de água, e deixe ferver até ficar obter uma calda em ponto de espadana (a calda cai da colher com o aspeto de lâmina de uma espada).

Junte o polme de batata à calda de açúcar e mantenha no lume, mexendo sempre, até ficar em ponto de estrada (ao passar uma colher na calda, forma-se uma abertura que deixa ver o fundo do tacho).

Acrescente a raspa de limão e a gelatina, previamente desfeita na água morna.

Deixe o preparado arrefecer um pouco.

Bata as claras em castelo e reserve.

Integre as gemas, previamente batidas, no puré até obter um creme espesso e esbranquiçado.

Junte, delicadamente, as claras em castelo, o pau de canela e, por fim, os corintos.

Deite a mistura numa forma untada com manteiga e leve a cozer em forno moderado.

O pudim deverá ser desenformado no dia seguinte ao da confeção para evitar que se desmanche. Se tiver de o desenformar no próprio dia, mergulhe o fundo da forma em água quente, vire-a sobre o prato de servir e bata levemente para o pudim se manter estruturado.

SUGESTÃO:

Com as claras que sobraram da preparação do pudim beneditino, faça um Bolo de Claras (receita AQUI).

Quem foi São Benedito?

São Benedito, cujo nome significa «abençoado», é o santo protetor dos cozinheiros, dos restaurantes e das donas de casa. Foi chamado de “O Santo Mouro”, por causa de sua cor negra. A sua festa litúrgica é celebrada a 5 de outubro.
Nasceu perto de Messina, na ilha da Sicília, Itália, no ano de 1526. Era descendente de escravos oriundos da Etiópia e aos 18 anos de idade, empolgado com a fé cristã, consagrou-se a Deus.
Aos 21 ingressou na ordem dos franciscanos. Foi para o convento em Santa Maria de Jesus, tendo sido foi designado cozinheiro, uma função comum nos conventos, porém, de grande responsabilidade.
Em 1578, apesar de ser analfabeto, Benedito foi escolhido para ser guardião (título dado ao superior) do mosteiro. Administrou o convento com grande sucesso, tendo adotado uma interpretação rigorosa das regras franciscanas.
Terminado o tempo de serviço como superior, retomou as lides de cozinheiro, ficando felicíssimo por voltar a ter a vida recatada e de recolhimento que objeto de todos os seus desejos.
Foi proclamado Santo em 1807, tendo sido o primeiro negro canonizado na Igreja.