Tag Archives: agua na boca

Broas dos Santos com Abóbora

À receita tradicional das broas dos Santos, também conhecidas como bolos dos Santos, alia-se a abóbora e o resultado são uns bolinhos deliciosos, capazes de fazer crescer água na boca. Como se costuma dizer, estes bolos, típicos do dia de Todos os Santos, são de comer e chorar por mais

Ingredientes:

  • ½ colher (sopa) de canela
  • ½ kg de farinha de milho
  • 1 colher (sopa) de sementes de erva-doce
  • 1 pitada de sal
  • 100 ml de água fria
  • 1 kg de farinha de trigo
  • 1 pau de abóbora
  • 1,5 kg de abóbora-menina
  • 250 g de açúcar amarelo
  • 30 g de fermento de padeiro
  • 50 g de nozes
  • 50 g de passas
  • 50 g de pinhões
  • ovo p/ pincelar

Confeção:

Coza a abóbora num pouco de água com sal, escorra e esmague-a. Reserve a água.

Dissolva o fermento na água fria e junte as farinhas, previamente misturadas, amassando vigorosamente à medida que vai juntando a abóbora e o açúcar. Se necessário, junte um pouco da água de cozer a abóbora.

Quando a massa tiver uma consistência bem elástica, tape e ponha-a a levedar em local temperado.

Corte os frutos secos em pedaços e reserve.

Mergulhe as passas e o pau de abóbora em água morna, enxugando-os de seguida.

Estando a massa levedada, adicione a erva-doce e a canela, os frutos secos, as passas e o pau de abóbora.

Ponha um pouco de farinha e da massa num recipiente com cerca de 10 cm de diâmetro.

Molde a massa em bolas, rodando o recipiente. Repita a operação as vezes necessárias para terminar o preparado.

Disponha as broas em tabuleiros untados com azeite, pincele-as com ovo e leve a cozer em forno bem quente (200º a 220º C), entre 30 a 40 minutos.

Sonhos Recheados

Os sonhos recheados são muito fáceis de preparar e capazes de nos deixar de água na boca. Fazem parte dos doces fritos tradicionais de Natal, mas podem ser servidos em qualquer ocasião, sempre que desejar presentear a sua família e amigos com uma receita deliciosa.

Ingredientes:

(para 40 sonhos)
  • ½ chávena (chá) de manteiga
  • ½ lata de leite condensado
  • 1 chávena (chá) de leite morno
  • 1 colher (sopa) de fermento biológico
  • 1 pitada de sal
  • 3 gemas
  • 5 chávenas (chá) de farinha
  • açúcar e canela p/ polvilhar
Para o recheio
  • 500 g de creme de baunilha (ou natas)

Confeção:

Dissolva o fermento no leite e reserve.

Misture bem o leite condensado, a manteiga, as gemas e o sal, acrescentando depois o fermento.

Junte a farinha, aos poucos, amassando até obter uma massa lisa que se solte das mãos.

Retire pequenas porções da massa e modele os sonhos, fazendo movimentos circulares com a mão.

Ponha-os num recipiente enfarinhado e cubra com um pano húmido. Deixe-os repousar em local abafado até dobrarem o volume.

Quando estiverem lêvedos, frite os sonhos em óleo não muito quente, em lume brando, deixando-os dourar por igual. Deverá ter atenção à temperatura do óleo, pois se estiver muito quente, os sonhos ficam crus por dentro.

Escorra em papel absorvente, corte-os ao meio e recheie com o creme ou natas (para facilitar, coloque o recheio num saco de pasteleiro).

Polvilhe com a mistura de açúcar e canela e sirva.

Semifrio de Kiwi

Mais uma sobremesa deliciosa, bonita e simples. Este semifrio é uma receita excelente para fazer nos dias quentes de verão, sendo uma sobremesa fresca e com uma apresentação muito bonita em que os kiwis e o chantilly fazem toda a diferença. A gelatina dá consistência ao doce. Um semifrio que nos deixa de água na boca só de olhar…

Doce de Leite Condensado e Bolacha

Aqui está uma receita muito fácil e simples de preparar. É uma sobremesa simplesmente deliciosa, daquelas capazes de nos fazer água na boca só de ver e a que não conseguimos resistir…

Bolo Ministro

Um bolo de chocolate húmido e delicioso, com um recheio e cobertura capazes de nos deixar de água na boca. Se for comido no dia a seguir à confeção, ainda é melhor, pois a massa absorve bem a calda e o bolo fica ainda mais húmido e saboroso. Como diz o ditado popular este é um bolo “de comer e chorar por mais”!

Ingredientes:

Para a massa
  • 150 ml de óleo
  • 200 ml de leite
  • 300 g de açúcar
  • 300 g de farinha c/ fermento
  • 60 g de canela
  • 8 ovos
  • 80 g de chocolate em pó
Para a calda
  • 150 g de açúcar
  • 2 paus de canela
  • 300 ml de água
Para o recheio e cobertura
  • 1 casca de limão
  • 1 l de leite
  • 1 pau de canela
  • 200 g de açúcar
  • 6 gemas
  • 80 g de farinha Maizena
  • canela em pó q.b. p/ polvilhar

Confeção:

Ligue o forno a 180º C.

Bata bem o açúcar da massa com os ovos, de forma a obter um preparado homogéneo e esbranquiçado.

Junte os restantes ingredientes e envolva-os bem.

Leve ao forno numa forma redonda, untada, cerca de 45 minutos.

Deixe o bolo arrefecer bem, apare-o em toda a volta e corte ao meio, separando as metades com o interior para cima.

Para a calda, leve os ingredientes ao lume e deixe ferver cerca de 3 minutos, até atingir o ponto de espadana (ao mergulhar uma colher e levantá-la, a calda escorre em fitas largas, com o aspeto de lâmina).

Estando o bolo bem frio, pique as 2 metades com um garfo e regue-as com a calda em partes iguais.

Para o recheio e cobertura do bolo, envolva bem todos os ingredientes, à exceção da casca de limão e o pau de canela.

Junte o limão e a canela ao preparado e leve ao lume, a uma temperatura moderada, até fazer estrada (ao passar uma colher, vê-se o fundo do tacho).

Retire a casca de limão e o pau de canela, deite o creme numa travessa larga a arrefecer completamente.

Recheie a base do bolo e cubra com a outra metade.

Estando o bolo montado, cubra toda a superfície com o restante creme e polvilhe generosamente com canela em pó.

 

Acerca deste bolo…

O nome da receita deriva da ocasião para que foi criado, aquando da visita de um ministro a Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós. Sendo um grande acontecimento, a população juntou-se toda e todos contribuíam para o almoço oferecido a tal personalidade. À sobremesa, o Ministro comeu um bolo de chocolate com uma cobertura de leite que muito aclamou. No entanto, como acontece em grandes receitas culinárias, o bolo surgiu de um engano, pois a senhora que o fez enganou-se na receita para  a cobertura quando o estava a fazer.
Não tendo tempo para fazer outro bolo e, porque já se tinha comprometido que levava para a receção ao Ministro um bolo de chocolate, retirou toda a cobertura e improvisou uma nova com o que tinha em casa. Assim, tendo sido criado um novo bolo de chocolate, ao qual não tinha sido atribuído qualquer nome, e que agradou tanto ao Ministro, a receita passou a ser intitulada de Bolo Ministro.

Foto: http://criacoeszulmira.blogspot.pt