Category Archives: Sobremesa

Tarte de Batata-doce com Chantilly e Amêndoa

Esta tarte de batata-doce é uma receita fácil, diferente e deliciosa. A massa leva ingredientes como o gengibre, canela e noz-moscada, que lhe dão um sabor mais intenso e saboroso. Para terminar, leva chantilly e amêndoa laminada, cujo crocante contrasta com a leveza da massa.

Ingredientes:

Para a base
  • 1 colher (café) de gengibre em pó
  • 1 pitada de sal de mesa
  • 1 colher (chá) de canela moída
  • 1 pitada de noz-moscada
  • 100 ml de leite
  • 200 g de açúcar
  • 3 ovos
  • 4 batatas-doces
  • massa quebrada
Para a cobertura
  • 500 g de chantilly
  • amêndoa laminada e tostada

Confeção:

Coza as batatas, inteiras e com pele, até ficarem macias. Pele-as, reduza-as a puré e deite este em duas chávenas. Reserve.

Misture o açúcar com a canela, o gengibre, o sal e a noz-moscada. Junte o puré de batata, os ovos levemente batidos e o leite. Misture bem e reserve.

Coloque a massa quebrada na tarteira e abra-a. Espalhe por cima a mistura que reservou, alise e leve ao forno, pré-aquecido a 220° C, durante 12 minutos. Baixe a temperatura para 180°C e deixe cozer durante ½ hora.

Quando a tarte arrefecer, guarde-a no frigorífico durante 1 hora.

Deite o chantilly num saco de pasteleiro com um bico canelado, decore a gosto e espalhe por cima amêndoas.

Sopa Dourada (Ribatejo)

Uma obra-prima da doçaria portuguesa, calórica e cheia de sabor, em que se destaca a quantidade de gemas usadas. Proveniente da região do Ribatejo, esta receita de sopa dourada tem uma excelente combinação de texturas e sabores, sem cair no excesso de doçura. Um pequeno pedaço de céu para saborear neste Natal.

Ingredientes:

  • 2 papos-secos duros
  • 250 ml de água
  • 20 gemas
  • 25 g de margarina
  • 500 g de açúcar
  • raspa de ¼ de limão
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com a água e deixar ferver até atingir o ponto de pasta (a calda escorre da colher, deixando uma leve camada pegada).

Retire do lume, junte a margarina, a raspa de limão e o pão cortado aos cubos.

Mexa com uma colher de pau para amolecer o pão e junte as gemas, previamente batidas.

Leve o preparado ao lume, mexendo sempre e até levantar fervura, para cozer as gemas.

Coloque a sopa dourada num prato grande e polvilhe com canela.

Nota:

Papos-secos é a designação regional das carcaças.

Sopa Dourada (Alentejo)

Doce conventual, tradicionalmente presente na mesa de Natal, a sopa dourada alentejana, também poderá servir para aproveitamento de pão que esteja um pouco mais duro. O único senão desta sobremesa deliciosa é ser demasiado calórica, pelo que se deve comer com certa moderação…

Ingredientes:

  • 10 gemas
  • 100 g de pão frito (em pequenos cubos)
  • 100 g miolo de amêndoa
  • 150 g de doce de chila
  • 300 ml de água
  • 500 g de açúcar
  • canela em pó p/ polvilhar

Confeção:

Leve o açúcar a ferver com a água durante 10 minutos.

Retire a calda do lume e envolva nela o doce de chila, levando novamente a levantar fervura.

Já fora do lume, adicione o miolo de amêndoa e ponha a ferver durante 3 minutos. Deixe arrefecer um pouco.

Envolva preparado de amêndoa e chila nas gemas e mexa bem.

Leve ao lume, numa panela de barro, com o pão, mexendo até ficar consistente.

Coloque num prato de servir e salpique ou polvilhe com canela em pó. Sirva o doce depois de frio.

DICA:

Pode guardar as claras que não usou nesta receita, num recipiente de plástico, no congelador. Conservam-se durante cerca de 6 meses e, para as utilizar, basta descongelá-las normalmente.

Sopa Dourada (Entre Douro e Minho)

A sopa dourada é uma receita típica de Portugal, sendo uma sobremesa indispensável na mesa de Natal no norte do país.

Conheça a forma de confecionar este doce de origem conventual na região Entre Douro e Minho, em que a receita é aromatizada com água de flor de laranjeira e inclui frutas cristalizadas na decoração.

Ingredientes:

  • ½ kg de açúcar
  • 24 gemas
  • 250 g de amêndoas
  • 300 g de fatias de pão de ló
  • água de flores de laranjeira q.b.
  • frutas cristalizadas (picadas finamente) p/ decorar

Confeção:

Leve o açúcar ao lume, deixando ferver cerca de 2 minutos, até o pôr em meio ponto de espadana. Vá deitando algumas gotas de água de flor de laranjeira.

Quando o açúcar atingir o ponto, retire a calda do lume e regue com ela as fatias de pão de ló, que porá depois a escorrer numa grelha.

Leve novamente o açúcar ao lume para atingir o ponto de espadana (a calda cai da colher em lâmina).

Deite a amêndoa na calda, pise bem e deixe ferver mais um pouco.

Retire do lume para arrefecer ligeiramente.

Entretanto, bata bem as gemas. Aos poucos, vá deitando a calda sobre elas, mexendo sempre para que não coalhe.

Deixe engrossar até fazer rugas e deite sobre as fatias, cobrindo-as bem.

Decore com frutas cristalizadas.

Manjar dos Deuses

O nome deste doce, também conhecido como ambrosia, está associado a uma lenda de que seria o manjar dos desuses no Olimpo. Reza a lenda que, quando os deuses ofereciam um pouco do seu manjar a um humano, este sentia uma extrema felicidade. De acordo com a mitologia grega, este doce era poderoso ao ponto de curar, bastava que alguém o saboreasse.

O termo ambrósia refere-se também a outros doces, conhecidos por serem muito bons e, por isso, a associação com algo divinal.

Ingredientes:

  • 1 copo de água
  • 12 gemas
  • 125 g de amêndoas
  • 125 g de arroz cozido (escorrido)
  • 500 g de açúcar
  • raspa de 1 limão

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com a água e deixe ferver durante 2 minutos com a raspa de limão.

Retire e junte as amêndoas picadas, o arroz e as gemas.

Mexa e leve novamente ao lume para engrossar, mexendo sempre para não queimar.

Sirva o doce em taças ou numa travessa.