Category Archives: Sabores do Mundo

Doce Espera Marido com Bolacha

Esta receita é uma variante do Doce Espera Marido brasileiro. Ambas as receitas são muito simples de preparar e resultam numa sobremesa deliciosa, ideal para agraciar os nossos maridos, mesmo que agora já não sejam eles os únicos a trabalhar fora de casa.

Nesta variante, em vez do leite e do doce de leite, são usadas a água e as bolachas. Os ovos e a canela são ingredientes incontornáveis neste tipo de receita.

Ingredientes:

(para 4 pessoas)
  • 16 colheres (sopa) de açúcar
  • 16 colheres (sopa) de água
  • 8 ovos (claras e gemas separadas)
  • bolachas Maria q.b.
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Ferva o açúcar com a água até obter ponto de pérola (quando corre da colher um fio espesso, ficando uma gota tipo pérola suspensa na extremidade).

Deixe a calda arrefecer, molhe nela as bolachas e disponha-as numa taça de servir.

Deite a calda restante nas gemas batidas e mexa muito bem.

Bata as claras em castelo e incorpore-as nas gemas.

Leve o preparado ao lume durante 2 minutos, mexendo sempre.

Deite o creme obtido por cima das bolachas e polvilhe com canela.

Bolo Formigueiro (Brasil)

O bolo formigueiro é uma receita brasileira, muito afamada a nível internacional. Terá surgido durante o período colonial, nas grandes fazendas do interior de Minas ou no Nordeste, como uma forma de aproveitamento de sobras de chocolate.

A receita é muito simples, mas o resultado é um bolo delicioso, que permite fazer uma grande variedade de sabores, de acordo com os mais diversos gostos e ocasiões. É composto por uma massa branca e fofa, na qual se destacam pequenos pedaços de chocolate. O nome do bolo resulta exatamente dessa combinação, porque o interior pintalgado se assemelha a um formigueiro.

A massa da base pode ser simples, de iogurte ou de coco. Publicamos a receita em que a massa leva coco ralado, por ser a variante mais comum.

Ingredientes:

  • 1 copo de leite
  • 100 g de coco ralado
  • 150 g de óleo
  • 200 g de açúcar
  • 200 g de chocolate granulado
  • 3 colheres (chá) de fermento em pó
  • 300 g de farinha de trigo
  • 4 ovos (claras e gemas separadas)

Confeção do modo Tradicional:

Ligue o forno a 180º C.

Bata as gemas com o açúcar.

Junte a margarina e bata mais um pouco.

Acrescente o coco ralado, o óleo e o leite e bata.

Adicione a farinha e o fermento e misture até obter uma massa homogénea. Reserve.

Bata as claras em castelo.

Envolva delicadamente as claras batidas no preparado reservado, juntamente com o chocolate granulado.

Deite o preparado numa forma untada e polvilhada com farinha.

Leve ao forno cerca de 40 minutos.

Preparação na Bimby:

Ligue o forno a 180°C.

Coloque a borboleta no copo e bata as claras em castelo, programando 4 min/ vel 3½ sem o copo de medida. Reserve.

Sem lavar o copo, junte o açúcar, as gemas, o coco, o óleo e o leite e misture durante 3 min/ 37° C/ vel 4.

Acrescente a farinha e o fermento e envolva 20 seg/ vel 3.

Com a espátula faça descer o que estiver nas paredes do copo e junte o chocolate. Misture durante 10 seg/ vel 3.

Envolva as claras em castelo durante 1 min/ vel 3.

Deite o preparado numa forma untada e polvilhada com farinha.

Leve ao forno cerca de 40 minutos.

NOTA:

Pode servir o Bolo Formigueiro simples ou com uma cobertura a gosto.

Doce de Pequi (Brasil)

O pequi – também conhecido como piqui, piquiá, pequerim, amêndoa-de-espinho, grão-de-cavalo ou suarí – é um fruto nativo do Cerrado brasileiro (grande área geográfica que engloba oito estados do Brasil Central), de formato arredondado, casca esverdeada, como um abacate pequeno, mas mais rechonchudo. A polpa do pequi, com uma coloração amarela intensa, contém óleo comestível, sendo muito rica em vitamina A e proteínas.

Este fruto, altamente calórico e perfumado, com um gosto meio adocicado, é muito utilizado na cozinha nordestina, do centro-oeste e Minas Gerais, sendo uma referência gastronómica em regiões como Mato Grosso e Goiás. O doce de pequi é uma verdadeira delícia e é um ex libris do Cerrado.

Ingredientes:

  • ½ kg de açúcar
  • ½ litro de leite
  • 1 kg de polpa de pequi

Confeção:

Leve ao lume o leite e o açúcar.

Quando a mistura engrossar (com uma consistência idêntica à do leite condensado), adicione a polpa do pequi, deixando apurar bem, até a massa se tornar pesada ao mexer.

Verifique o ponto, colocando um pouco de água num recipiente e deite nela uma pequena porção do doce, deixando um minuto. Se a massa endurecer bem, está pronto.

Desligue o lume e bata bem o doce, no próprio tacho, até arrefecer.

Deite o doce de pequi numa superfície e corte-o em pedaços pequenos. A consistência é semelhante à de doce de leite em barra.

Sabia que…

A castanha existente no caroço do pequi é muito saborosa; para a comer, basta deixar os caroços secarem durante uns dois dias e depois torrá-los.

Tapioca | Beiju (Brasil)

Tapioca, também designado Beiju ou Biju, é o nome dado a um doce tradicional de origem indígena, típico do nordeste do Brasil. Consiste numa espécie de panqueca (feita a partir da fécula de mandioca, também conhecida como tapioca, goma da tapioca, goma seca, polvilho ou polvilho doce), que pode ser servida com diversos recheios – doces ou salgados.

É exatamente o recheio que dá um toque especial à receita, variando de acordo com o gosto e a região onde a tapioca é consumida. Os mais tradicionais são com coco e queijo coalho, mas a tapioca pode levar apenas manteiga ou, como é comum nas versões mais modernas, leite condensado, goiabada com queijo, banana, morango, chocolate, entre outros tipos de recheio.

Come-se preferencialmente a tapioca quente, pois depois de fria tende a esfarelar e não se torna tão apetitosa. Depois de feita, poderá guardar a tapioca no frigorífico, num recipiente fechado, e consumir quando quiser, com um recheio do seu agrado. É ótima para saborear ao pequeno-almoço ou lanche…

Veja como preparar a receita tradicional nordestina, em que, além da água, a fécula de mandioca é misturada com coco.

Ingredientes:

  • ½ chávena de coco fresco ralado
  • 1 pitada de sal
  • 500 g de fécula de mandioca
  • água q.b.
  • recheio a gosto

Confeção:

Deite a fécula numa tigela e junte a água necessária para a dissolver, passando bem entre os dedos sem agarrar.

Adicione o sal e o coco, misturando muito bem.

Passe a massa numa peneira e, enquanto isso, coloque ao lume uma frigideira (ou chapa) antiaderente, deixando aquecer bem sobre lume moderado. Não precisa de acrescentar óleo.

Coloque porções da goma obtida na frigideira, espalhando bem no fundo, sem a deixar espessa.

Deixe a massa secar na frigideira e, quando se soltar do fundo, vire como se faz com uma panqueca. Não deixe escurecer nem endurecer.

Deixe aquecer bem o fundo da frigideira e coloque uma nova porção de massa, repetindo as vezes necessárias para a terminar.

Coloque a tapioca num prato e recheie a gosto. Dobre ao meio e sirva.

Bolinhos de Marzipan | Massapão (Brasil)

Marzipan é o nome que se dá no Brasil à massa de amêndoas que conhecemos em Portugal como massapão ou maçapão. Estes bolinhos são feitos à base dessa massa de amêndoas, que é enrolada e cortada em pedaços depois de ir ao forno. São tão bons que o difícil será comer só um…

Ingredientes:

Para o massapão
  • 1 clara
  • 1 colher (chá) de essência de amêndoas
  • 250 g de açúcar em pó
  • 250 g de amêndoas
Para os bolinhos
  • 1 ovo
  • 1 pitada de sal
  • 100 g de manteiga gelada
  • 200 g do massapão preparado
  • 250 g de farinha de trigo
  • 5 colheres (sopa) de água gelada
  • metades de amêndoas p/ decorar

Confeção:

Para o massapão, comece por pôr a água ao lume e, quando ferver, acrescente as amêndoas. Deixe ferver durante 3 minutos e escorra a água.

Passe as amêndoas para uma tigela com água e gelo (o choque térmico faz com que a pele das amêndoas se solte facilmente). Aguarde 2 minutos, escorra a água e retire a pele das amêndoas.

Ligue o forno a 160º C durante 10 minutos e desligue-o.

Ponha as amêndoas num tabuleiro e leve-as a torrar no forno quente, já desligado (abane o tabuleiro de vez em quando para que as amêndoas torrem por igual).

Rale as amêndoas até obter uma farinha fina.

Deite a amêndoa desfeita numa tigela e acrescente o açúcar, a clara e a essência de amêndoas. Misture até obter uma massa uniforme.

Embrulhe o massapão em película aderente e deixe repousar durante 2 horas, em ambiente fresco e arejado.

Entretanto, prepare os bolinhos. Corte a manteiga em cubos, junte a farinha e o sal e amasse bem com as pontas dos dedos.

Adicione a água gelada, aos poucos, e trabalhe a massa até conseguir formar uma bola.

Embrulhe em película aderente e ponha no frigorífico durante 30 minutos.

Bata bem o ovo e reserve.

Ligue o forno a 180º C.

Quando retirar a massa do frio, estenda-a com um rolo numa superfície enfarinhada até ficar com 0,2 cm de espessura.

Corte um retângulo de 10 x 30 cm e pincele com o ovo batido.

Faça uma base de massapão com cerca de 3 cm de espessura por 30 cm de comprimento. Coloque-a no centro da massa e feche (embrulhando o massapão).

Ponha num tabuleiro, deixando a parte da massa que foi fechada voltada para baixo.

Pincele com o ovo e coloque uma metade de amêndoas a cada 0,75 cm, aproximadamente. Aperte ligeiramente para fixar e pincele novamente com o ovo.

Leve ao forno durante 35 minutos ou até que a massa fique dourada. Retire e deixe arrefecer.

Corte a massa em fatias no espaço entre as amêndoas.

Para conservar, ponha num recipiente com tampa e guarde em local seco e arejado.