Category Archives: Receitas do Carnaval

Sopa Seca Doce

A sopa seca é uma sobremesa tradicional do norte de Portugal. Com pequenas variações de terra para terra (veja-se, por exemplo, a receita típica de Penafiel), esta sobremesa, feita com base numa economia de subsistência em que é feito o aproveitamento de ingredientes, era uma das mais apetecidas em muitas ocasiões festivas ao longo doa ano.

A maior curiosidade são as Sopas Secas Doces de tradição na região próxima do Porto, cuja receita aqui apresentamos. Nos casamentos rurais e nas festas das vindimas do Douro é comum fazer-se esta versão, em que o pão é mergulhado no caldo de cozer carnes, as quais são depois aproveitadas para confecionar outros pratos. Geralmente, estas sopas são feitas com o caldo do Cozido à Portuguesa, mas pode fazer-se também com outro caldo de carnes.

Tradicionalmente, a sobremesa é servida no alguidar onde foi confecionada, indo este à mesa envolto numa toalha de linho.

Ingredientes:

(para 4 pessoas)
  • 1 galinha
  • 1 ramo de hortelã
  • 100 g de toucinho
  • 250 g de pão de trigo de boa qualidade
  • 3 colheres (sopa) de mel
  • 300 g de carne de vaca sem gordura
  • açúcar e canela q.b.
  • água e sal q.b. p/ cozer as carnes

Confeção:

Coza as carnes a cozer em água abundante, temperada com sal.

Estando as carnes bem cozidas, coe o caldo e junte-lhe a hortelã, o mel, canela em pó e açúcar a gosto, devendo o caldo ficar bem doce.

Corte o pão em fatias como se fosse para rabanadas. Coloque-as num recipiente e regue-as com o caldo doce quente, de forma a que fiquem bem embebidas.

Polvilhe com açúcar e canela o fundo do alguidar de barro vidrado, próprio para servir à mesa, e vá colocando as fatias  de pão em camadas, separadas por açúcar e canela, sendo que a última camada deve ser de açúcar e canela.

Cubra o alguidar com papel pardo e leve ao forno sem deixar que fique tostado. Sirva a sobremesa, ainda quente ou morna, no próprio alguidar.

Sopa Seca (Penafiel)

A sopa seca é uma sobremesa típica da região de Penafiel, tradicionalmente associada ao fim das vindimas, embora também seja muito comum servir-se no Natal ou noutras ocasiões festivas. Designa-se sopa por ser feita com caldo e diz-se que é seca, porque o pão absorve a calda e não fica praticamente liquido nenhum no fundo do alguidar onde a sobremesa é servida.

A receita foi criada por famílias com poucos recursos económicos, que aproveitavam o pão de trigo velho para prepararem uma sobremesa que pudessem apresentar nas festividades da Senhora do Rosário, que se realiza todos os anos, na freguesia de Duas Igrejas, no primeiro fim de semana de outubro. O doce, tradicionalmente acompanhado de vinho doce, acabou por ficar intimamente associado à festividade litúrgica e, dadas as características peculiares desta sobremesa e a atração que despertou, com o tempo, o evento passou a ser conhecido como a Festa da Sopa Seca.

Atendendo às suas origens humildes, este doce é também conhecido como a sobremesa dos pobres. A receita consiste em embeber fatias de pão numa calda de açúcar com canela, folhas de laranjeira e vinho do Porto, dispô-las num alguidar, onde são colocadas em camadas e polvilhadas com açúcar e canela, indo depois ao forno a gratinar.

A sopa seca deve  ser feita de preferência em forno a lenha e saboreada ainda morna. Embora a receita ainda esteja pouco divulgada nos roteiros gastronómicos de Portugal, esta iguaria é muito apreciada e difundida, sobretudo no norte do país, existindo variantes onde é feito o aproveitamento de caldo de carnes e usada hortelã.

Ingredientes:

  • 10 pães (tipo cacete ou carcaça) secos
  • 100 g de açúcar + q.b. p/ polvilhar
  • 150 g de açúcar amarelo
  • 2 folhas de laranjeira (ou 1 casca de limão)
  • 25 g de canela + q.b. p/ polvilhar
  • 50 ml de vinho do Porto tinto

Confeção:

Junte a água, o açúcar branco e o amarelo, a canela, o vinho do Porto e as folhas de laranjeira. Mexa até dissolver bem os açúcares.

Cubra com açúcar o fundo de um alguidar de barro, próprio para servir à mesa.

Corte o pão em fatias de 1,5 cm de espessura e mergulhe-as na calda, uma de cada vez.

Disponha as fatias no alguidar, em camadas, polvilhando sempre entre cada uma com açúcar e canela.

Leve ao forno, pré-aquecido a 160º C, cerca de 20 minutos, até o pão ficar ligeiramente tostado.

Servir a sobremesa quente ou morna, de preferência, mas também pode ser consumida fria.

Foto: http://jornalreferencia.blogs.sapo.pt

Cavacas da Ilha de Sta. Maria (Açores)

As cavacas são doces muito populares em Portugal, havendo diversas receitas de acordo com a região onde são confecionadas. No arquipélago dos Açores, este doce é igualmente famoso, podendo encontrar-se por todas as ilhas.

Veja como preparar as deliciosas cavacas à moda da ilha de Santa Maria, onde também se encontram variantes da receita tradicional.

Ingredientes:

Para as cavacas
  • ½ chávena (café) de água
  • 10 ovos
  • 125 g de farinha
  • 2 chávenas (café) de azeite
Para a calda
  • 1 chávena (chá) de água
  • 400 g de açúcar

Confeção:

Leve o azeite ao lume até fumegar.

Envolva a farinha no azeite e depois os ovos, um a um, batendo entre cada adição.

Por fim, acrescente a água.

Deite ½ colher de sopa desta massa em formas de queques, untadas com manteiga e polvilhadas com farinha, e leve a cozer em forno forte.

Entretanto, prepare a calda com que irá cobrir as cavacas.

Leve o açúcar ao lume com a  água e deixa-se ferver até fazer ponto de rebuçado (ao deitar um pouco de calda em água fria, forma-se uma bola consistente mas moldável).

Retire a calda do calor e bata até estar opaca.

Cubra as cavacas com esta calda de açúcar e deixe secar.

Bolo Arco-íris em Camadas

Este bolo tem uma apresentação espectacular e única, com uma cobertura branca que esconde deliciosas camadas de cor, a fazer lembrar o arco-íris. Ao cortar o bolo, criará uma imagem visual, colorida e apelativa, que fará as delícias de todos os seus amigos e/ou familiares.

Veja como fazer este maravilho bolo, com o qual irá arrasar numa festa de aniversário, no Carnaval ou num momento mais íntimo a dois…

Ingredientes:

Para a massa
  • ½ colher (chá) de sal
  • 1,5 chávena | xícara de leite morno
  • 2 chávenas de açúcar bem cheias
  • 2 colheres (chá) de baunilha
  • 2 colheres (sopa) de fermento em pó
  • 230 g de manteiga
  • 3 chávenas de farinha de trigo
  • 5 ovos
  • corante alimentar vermelho, laranja, verde, amarelo, azul e lilás
Para o recheio
  • 9 claras
  • 450 g de manteiga a temperatura ambiente
  • 2 colheres (sopa) de sumo de limão
  • 1,5 chávena de açúcar
Para a cobertura e decoração
  • 1 chávena de açúcar
  • 1 colher (sopa) de sumo de limão
  • 230 g de manteiga à temperatura ambiente
  • 5 claras
  • confeitos p/ decorar (opcional)

Confeção:

Pré-aqueça o forno a 175º C.

Unte uma forma para bolos com 23 cm de diâmetro e reserve.

Peneire a farinha, juntamente com o fermento em pó e o sal. Reserve.

Bata o açúcar com a manteiga até ficarem em creme.

Deite os ovos, um a um, batendo entre cada adição.

Adicione a baunilha e misture até obter um preparado homogéneo. Depois vá acrescentando, aos poucos a farinha, peneirada com o sal e o fermento, misturando bem.

Divida a massa em 6 tigelas.

Coloque em cada uma a quantidade necessária de corante e envolva

Deite os preparados da massa, à vez, na forma e cozinhe durante 15 minutos cada um. Preste muita atenção para as massas não queimarem pois, como são muito finas, assam rapidamente.

Quando as tirar do forno, deixe arrefecer antes de desenformar. Vire o molde, tape e coloque no frigorífico para que arrefeça rapidamente.

Prepare o recheio e a cobertura do bolo de igual modo. Leve as claras e o açúcar ao lume médio, mexendo sempre até o açúcar se dissolver completamente.

Passe o preparado para outro recipiente e bata em alta velocidade até que a sua temperatura diminua, regulando depois para a velocidade média-baixa.

Adicione a manteiga, aos poucos, deixando que cada parte esteja completamente incorporada antes de adicionar a seguinte. Depois de ligar completamente a manteiga, bata novamente a velocidade máxima durante 5 minutos. Adicione o sumo de limão, mexa um pouco e reserve.

Para montar o bolo, sobreponha as camadas de massa barradas com o recheio.

Cubra o bolo e coloque-o no frigorífico até a cobertura endurecer.

Quando retirar do frio, se desejar, decore com confeitos coloridos e sirva.

Fofas do Faial

As fofas são tradicionalmente confecionadas na altura do Carnaval e estão entre os doces mais típicos da ilha do Faial, nos Açores. Antigamente chamadas de filhós, são compostas por uma massa com erva-doce, que leveda intensamente e as deixa ocas, sendo muitas vezes recheadas com um creme de limão ou creme de baunilha.