Category Archives: Festas de Casamento

Bolos de Cabeça (Torres Novas)

Estes bolos, feitos com uma massa fermentada, maciça mas fofa, aromatizada com canela, erva-doce e limão, são uma especialidade da doçaria regional de Torres Novas, sendo presença quase obrigatória nas festas e romarias do concelho. Embora se tendam de maneira diferente, a massa é semelhante à de outros bolos que se fazem na região Oeste, também muito frequentes nas festas de casamento, como lembrança dos noivos para os convidados – exemplo disso são as ferraduras, os bolos de festa ou os bolos de noivos.

Os bolos de cabeça têm em si os traços da doçaria popular, com os seus torcidos e entrançados característicos. Começaram por ter a forma de cruz, mas como são tradicionalmente oferecidos nos casamentos, estes bolos passaram a ter a forma de duas cabeças, que representam os noivos, uma vez que relação e vida do casal é feita a dois.

Com a mesma massa podem tender-se formas mais simples, como ferraduras e bolinhas (polvilhadas com açúcar e enfeitadas com uma noz), sendo estas últimas confecionadas sobretudo na altura dos Santos. Nesta festividade do dia de Todos os Santos, em Torres Novas, estes bolos integram a tradição popular do “pão por Deus”, pedido pelas crianças e partilhado entre familiares, vizinhos e amigos.

Ingredientes:

  • 10 g de fermento de padeiro
  • 100 ml de azeite
  • 50 g de manteiga
  • 1 colher (sobremesa) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher (sobremesa) de canela
  • 1 colher (sobremesa) de erva-doce
  • 10 g de sal
  • 1,4 kg de açúcar amarelo
  • 2,5 limões (sumo e raspa)
  • 2,9 kg de farinha
  • água q.b.
  • ovo batido p/ pincelar

Confeção:

Para preparar a massa lêveda, coloque 400 g de farinha em monte num recipiente largo, faça-lhe um buraco ao centro e deite nele o sal e o fermento de padeiro (dissolvido num pouco de água morna).

Amasse e deixe levedar cerca de 15 minutos, até a massa apresentar um aspeto rendilhado no interior.

Faça um buraco na massa e deite dele  a restante farinha, a canela, a erva-doce, o bicarbonato de sódio, o açúcar e a raspa dos limões..

Amasse novamente e, aos poucos, regue o preparado com o azeite e a manteiga a ferver, desfazendo os torrões que se formam.

Junte o sumo dos limões e amasse muito bem, acrescentando, aos poucos, a água necessária para obter uma massa boa para tender (deve ter uma consistência ligeiramente mais dura que a massa do pão).

Unte a superfície da massa com azeite, cubra com película aderente e deixe levedar durante 3 horas, num local tépido. Tradicionalmente é feita uma cruz na massa antes de a pôr a levedar e, quando a cruz desaparecer, é sinal que a massa está lêveda.

Antes de tender a massa, unte e polvilhe os tabuleiros do forno com farinha. Reserve.

Polvilhe a bancada da cozinha com farinha e tenda os bolos com a sua forma típica, a lembrar um oito. Para tal, siga os passos descritos abaixo:

  1. Retire uma boa porção de massa e forme um rolo grosso, de onde vai retirando pedaços com cerca de 200 g.
  2. Role cada um deles sobre a bancada até formar um cilindro, cujas pontas se achatam com a palma da mão.
  3. Com ambas as mãos, aperte o rolo ao meio, formando duas «cabeças».
  4. Dobre a massa, sobrepondo as «cabeças», e aperte novamente com as mãos, dando origem a quatro «cabeças» ou uma cruz.
  5. Sobreponha duas das «cabeças», calcando com os dedos para unir a parte superior e inferior.

Coloque os bolos nos tabuleiros polvilhados de farinha, pincele com ovo batido e leve a cozer, em forno bem quente (± 250º C), cerca de 10-15 minutos.

NOTA:

Para deixar os bolos mais saborosos, junte uma proporção superior de erva-doce e canela (1 colher de sopa rasa de cada).

Fontes:  http://www.memoriamedia.net/index.php/bolos-de-cabeca; https://www.youtube.com/watch?v=UhNrfp0OhNU e http://club.nersant.pt/empresas/detalhes.aspx?id=375 (fotos)

Bolos de Ançã (Cantanhede)

Uma das imagens típicas da vila de Ançã, concelho de Cantanhede, são as boleiras com os seus açafates (cestos de vime de bordo baixo) com bolos de Ançã para venda. A venda dos bolos também é comum nos mercados e feiras locais.

Não se conhece ao certo a origem deste bolo, sabe-se apenas que é uma receita muito antiga, tendo passado de geração em geração. O bolo é de confeção simples e com ingredientes comuns (farinha, açúcar, ovos, manteiga, fermento e sal), sendo tradicionalmente amassado à mão e cozido em forno de lenha – fatores que, segundo as boleiras da região, são indispensáveis para garantir a sua qualidade. Foi exatamente este fabrico tradicional, mantido durante gerações, que tornou o bolo num produto típico da vila.

Há três versões de bolos na região, tendo por base as mesmas técnicas de confeção, com pequenas alterações na massa: a mais tradicional é o designado bolo de ovos (o autêntico bolo de Ançã), o bolo fino (também conhecido por bolo de Cantanhede) e os cornos (também designados como cornudos), bolos com uma forma mais alongada, que se caracterizam pelo sabor intenso a canela.

Antigamente, os bolos de Ançã eram obrigatórios nos casamentos, tal como os Bolos Ferradura noutras regiões de Portugal, fazendo parte das ofertas dadas pelos noivos aos convidados. Além deles, as ofertas incluíam outras iguarias, doces e salgadas, como o arroz-doce, arroz de cabidela com galinha e os bolos cornos. Ainda hoje se mantém a tradição de oferendas destes dois tipos de bolo nos casamentos, mas sem a obrigatoriedade de outrora.

Como normalmente se fazem em grandes quantidades, a receita é apresentada nesse sentido, podendo fazer-se as adaptações na dosagem dos ingredientes, atendendo às necessidades para a sua confeção.

Ingredientes:

  • 1 kg de farinha de trigo peneirada
  • 12 ovos
  • 200 g de margarina
  • 250 ml de água morna
  • 375 g de açúcar
  • 50 g de fermento de padeiro

Confeção:

Desfaça o fermento num pouco de água morna.

Faça um monte com a farinha e junte, aos poucos, a água com o fermento, deixando descansar durante 10 minutos.

Misture 6 ovos com metade do açúcar e vá adicionando à massa de farinha, trabalhando-a até incorporar bem os ingredientes.

Junte depois os ovos e o açúcar restantes, adicionando um ovo da cada vez, com um pouco do açúcar.

Derreta a margarina e junte-a ao preparado, trabalhando bem até obter uma massa lisa, elástica e homogénea.

Coloque a massa num recipiente grande e coberto e deixe levedar em um local ameno (por exemplo, o forno do fogão desligado).

Quando a massa dobrar de volume, modele os bolos e coloque-os nos forno em tabuleiros untados (no caso de não ter forno a lenha).

Deixe crescer novamente e coza os bolos em forno quente, pré-aquecido,  até ficarem bem douradinhos.

Bolos de Rodilha (Pombal)

Estes bolos, típicos da região de Pombal, são particularmente populares nas localidades de Abiúl, S. Simão de Litém e Vila Cã, estando associados à celebração do casamento e a ocasiões festivas. Os pais dos noivos dão estes bolos, em formato pequeno, como forma de agradecimento pelos presentes dados aos noivos. Na freguesia de Abiúl é dado um bolo grande a cada família presente no casamento e às pessoas que colocam as mesas.

Os ingredientes são indicados em grandes quantidades, dado serem tradicionalmente feitos muitos bolos de uma só vez, dado serem oferecidos nos casamentos. No entanto, poderá ajustar os ingredientes de acordo com a ocasião em que confecionar estes deliciosos bolos, com o sabor inigualável das especiarias usadas na receita.

Ingredientes:

  • 100 g de fermento de padeiro
  • 2 kg de açúcar
  • 50 g de erva-doce
  • 50 g de canela
  • 6 kg de farinha de trigo
  • água q.b.
  • sumo de 3 limões

Confeção:

Misture a farinha com o açúcar, o suco de limão, a erva-doce e a canela. Junte o fermento dissolvido em água e amasse muito bem. Aos poucos, vá acrescentando a água necessária para ter uma massa moldável.

Deixe levedar durante 2 horas.

Após a fermentação, amasse novamente e dê à massa o formato de uma rodilha, colocando-a em tabuleiros untados.

Leve a cozer, em forno pré-aquecido a 180º C, cerca de 20 minutos.

Como Calcular o Peso e Tamanho de um Bolo

Quando estamos a organizar uma festa de aniversário ou outra em que o bolo tem um papel importante, um dos aspetos que levanta mais dúvidas é saber qual o peso ou tamanho que deve ter o bolo ou torta. Deixamos-lhe algumas indicações que poderão a definir qual é o peso ideal, atendendo ao modelo, tamanho pretendido e número de pessoas que estarão presentes na festa.

Deve-se ter em consideração não só o número de convidados, mas também o tipo de festa e o que irá ser servido. Em festas de crianças, por exemplo, tem-se em conta somente 70 a 80% do número de pessoas para definir o tamanho do bolo. Se for numa festa de aniversário ou de casamento, há a considerar os doces e outros bolos que irão ser servidos, pois isso também irá pesar na quantidade de bolo que cada pessoa irá comer.

Há, no entanto, um peso de referência para os bolos e tortas | rocambole (no Brasil), sendo também comum fazer-se a ponderação pelo número de fatias. Apresentaremos as duas formas para que possa definir melhor as pesagens e tamanho dos seus bolos.

Em termos gerais, cada pessoa comerá aproximadamente 100 gramas de bolo e 120 gramas de torta.

Vejamos o caso das tortas:

[ws_table id=”7″]

Para os bolos, embora haja a indicação aproximada de peso, torna-se mais prático calcular por fatias, pois pode-se calcular consoante a forma que pretende. Sendo um bolo alto, para os 100 gramas de referência, a fatia será estreita; um bolo baixo já terá a fatia mais larga.

Formas de bolo comuns:

Calcular o Peso e Tamanho de um Bolo

[ws_table id=”5″]

Outras formas de bolo:

[ws_table id=”6″]

Apesar das indicações aqui apresentadas, há que ter em conta que o peso do bolo pode variar conforme a utilização específica de massas, recheios e coberturas. É, por isso, impossível precisar exatamente o peso do bolo, porque tudo dependerá da forma como será coberto (pasta de açúcar, chantilly, …) e recheado (sem recheio, somente com creme, com fruta).

Bolo Preto da Madeira

O bolo preto é uma das  receitas mais conhecidas da doçaria regional madeirense, muito usado como bolo de casamento dos noivos camponeses ou nos festejos natalícios. São poucas as casas que, na Madeira, não têm este bolo na mesa de Natal.

Esta receita tradicional é atribuída ao concelho da Ribeira Brava, tendo sido recolhida pela Confraria Gastronómica da Madeira. A massa é enriquecida com mel de cana, frutos secos ou cristalizados, canela, noz-moscada, vinho da Madeira e cerveja. É, pois, um bolo muito rico, saboroso e húmido que se conserva bem, podendo mesmo ser congelado.

Ingredientes:

  • ½ noz-moscada ralada
  • 1 cálice de vinho da Madeira
  • 1 colher (chá) de canela
  • 10 g de bicarbonato de soda
  • 200 ml de cerveja preta
  • 200 ml de leite
  • 250 ml de mel de cana
  • 25 g de banha
  • 250 g de manteiga
  • 300 g de frutos secos ou cristalizados
  • 4 ovos
  • 500 g de açúcar
  • 500 g de farinha de trigo
  • raspas da casca de 1 limão

Confeção:

Ligue o forno a 170º C.

Unte uma forma redonda e forre-a com papel vegetal, também ele untado. Reserve.

Derreta a manteiga e a banha num tacho e reserve.

Misture o leite com a cerveja, o mel de cana e o vinho da Madeira.

Adicione os ovos, um a um, seguidos da manteiga e da banha derretidas.

À parte, misture, sem bater, o açúcar com a soda, a noz-moscada, a raspa do limão, a farinha, a canela e os frutos secos/cristalizados partidos.

Deite o preparado de mel sobre esta mistura e envolva bem, até ficar homogéneo.

Deite na forma e leve ao forno durante 1 hora.

Desenforme o bolo morno.

Dica:

Como nem todos os fornos são iguais, após o tempo de cozedura, faça o teste do palito e, se achar que o bolo ainda não está pronto, cubra-o com papel de alumínio e deixe ficar mais um pouco.
Sugestão enviada pelo Francisco Pereira