Category Archives: Doces de Páscoa

Pão de Ló Molhado (Ovar)

Este pão de ló, com a sua massa molhada, é uma variante da receita tradicional do pão de ló pão de ló de Ovar, registando-se uma menor quantidade de gemas empregues na sua confeção.

Veja a receita, gentilmente enviada pela nossa seguidora Maria Fernanda Simões. Nós preparámos a receita, fazendo a adaptação para a Bimby – a massa, antes de ir ao forno, fica muito suave e cremosa. Vale a pena experimentar!

Ingredientes:

  • 1 pitada de sal fino
  • 150 g de farinha de trigo bem peneirada
  • 250 g de açúcar
  • 5 ovos inteiros + 10 gemas

Confeção:

Coloque as gemas, os ovos, o açúcar e o sal numa taça e bata, com a batedeira na velocidade máxima, durante 15 minutos. Ao fim desse tempo, reduza a velocidade para o mínimo e junte a farinha por duas vezes.

Forre uma forma redonda de 24 cm com papel cavalinho (ou vegetal) e deite nela a massa.

Leve ao forno a cozer durante 20 minutos (175º C). Passado esse tempo, abane a forma e a massa deverá mover-se também (sinal que o pão de ló está com creme).

Preparação na Bimby:

Coloque a borboleta no copo e deite nele as gemas, os ovos, o açúcar e o sal. Bata durante 15 minutos, velocidade 4. Ao fim desse tempo, reduza a velocidade para 1,5 e junte a farinha, aos poucos.

Forre uma forma redonda de 24 cm com papel cavalinho (ou vegetal) e deite nela a massa.

Leve ao forno a cozer durante 20 minutos (175º C). Passado esse tempo, abane a forma e a massa deverá mover-se também (sinal que o pão de ló está com creme).

Nota:
  • Ao abanar a forma após a cozedura, se a massa não baloiçar é porque está cozida demais e o pão de ló estará seco.
Sugestão:

Aproveite as claras que sobraram da preparação desta receita para fazer um delicioso Pudim de Claras com Nozes (receita AQUI).

Pão de Ló de Ovar

Esta receita de pão de ló é uma especialidade regional de Ovar, cidade situada no distrito de Aveiro, na região centro de Portugal. Este bolo, com inquestionável origem na doçaria conventual, é mesmo considerado o ex libris da cidade.

A receita é feita somente com ovos (sobretudo gemas), açúcar e farinha e, depois de pronto, a massa do pão de ló mantém-se húmida, deixando transbordar o seu característico recheio de ovos-moles.

Ingredientes:

  • 125 g de farinha de trigo
  • 18 gemas
  • 250 g de açúcar
  • 5 claras

Confeção:

Ligue o forno a 180º C.

Bata as gemas com as claras e o açúcar, durante alguns minutos, até obter um preparado espesso, com um volume largamente superior ao inicial.

Adicione a farinha, previamente peneirada pelo menos duas vezes, e bata suavemente.

Unte uma forma redonda (22 cm de diâmetro) e forre-a com papel vegetal.

Deite a massa na forma e leve o pão de ló a cozer durante cerca de 15 minutos. Deverá desligar o forno após o tempo de cozedura indicado e deixar a porta do forno aberta. Retire o bolo somente quando o forno estiver frio.

A superfície do bolo deve ficar húmida, parecendo mesmo que a massa não está totalmente cozida. No entanto, o processo é mesmo assim pois, desta forma, no dia seguinte, o pão de ló mantém a humidade característica, proporcionada pelo recheio de ovos moles.

Acerca do pão de ló de Ovar…

Não se conhecem ao certo as circunstâncias ligadas à criação e divulgação deste doce tradicional de Ovar. Apenas se sabe que tem origem conventual, especulando-se que alguma freira tenha divulgado a receita a um familiar ou amigo residente na cidade. Sabe-se também que a confeção do pão de ló de Ovar é anterior ao século XVIII.

No século XIX, a receita era confecionada por várias famílias de Ovar, registando-se pequenas variações. Uma dessas famílias criou o hábito de, nas quadras festivas do Natal e da Páscoa, presentar aos seus clientes e amigos com os já célebres pães de ló de Ovar. Esta iniciativa deu azo a que o fabrico desta especialidade da doçaria conventual registasse um aumento considerável no final daquele século. Era tradição que os habitantes locais fornecessem ovos, açúcar e farinha de trigo, levando para si as claras restantes e pagando o chamado “feitio de fabrico”. Os pães de ló eram então transportados em cestos ou tabuleiros, enfeitados com panos de linho bordados, que eram utilizados exclusivamente para esse fim.

Arrufadas de Coimbra

Apesar da simplicidade da receita, as arrufadas são consideradas o bolo mais célebre de Coimbra. Outrora era possível encontrar arrufadas com duas formas: redondas, como atualmente, ou em feitio de ferradura. Independentemente da sua forma, as arrufadas são tradicionalmente enfeitadas com açúcar, estando ainda hoje particularmente ligadas à tradição Pascal na região de Coimbra.

Este não é propriamente um doce conventual, embora as arrufadas tenham sido confecionadas em grande quantidade nos conventos, em particular no de Sant’Ana (mas também são referidas nos livros do Convento de Santa Clara-a-Velha).

Ingredientes:

  • 10 ovos
  • 2 kg de farinha de trigo
  • 200 g de manteiga
  • 50 g de fermento biológico
  • 500 g de açúcar + q.b. p/ polvilhar
  • leite (opcional)

Confeção:

De véspera, amasse a farinha com os ovos, o açúcar e o fermento previamente desfeito num pouco de água morna (se for necessário tornar a massa mais maleável, junte-lhe um pouco de leite morno).

Acrescente a manteiga derretida, continuando a amassar, até a massa se soltar das mãos e dos bordos do alguidar.

Tape com um pano e deixe levedar, durante uma noite.

No dia seguinte, antes de tender a massa, pré-aqueça o forno a 180º C. Estenda depois as arrufadas, formando pequenas bolas com 4 cm de diâmetro. Deixe-as levedar novamente, até dobrarem de volume (cerca de 40 minutos).

Quando terminar o tempo de levedura, ponha as arrufadas em tabuleiros, pincele-as com gema de ovo e leve a cozer cerca de 25 minutos.

Quando estiverem cozidas, retire-as e polvilhe com açúcar e sirva as arrufadas quente ou frias.

Tigelada (Vila Velha de Ródão)

Vila Velha de Ródão é uma vila do distrito de Castelo Branco, na região fronteiriça com Espanha. A tigelada é uma das iguarias que marcam a gastronomia regional, sendo considerada por muitos a mais deliciosa sobremesa beirã. Existem na região diversas receitas deste doce, mas em todas elas a tigelada vai a cozer ao forno em tachos de barro vidrado (caçoilos).

Em Vila Velha de Ródão,  a tigelada está associada às festividades, sendo presença incontornável nas celebrações da Páscoa ou nas festas de casamento.

Ingredientes:

  • 10 ovos
  • 1 casca de limão
  • 1 colher de farinha de trigo
  • 1 litro de leite
  • 1 pitada de canela
  • 250 g de açúcar

Confeção:

Bata bem os ovos com o açúcar, a casca de limão, a farinha e a canela.

Adicione o leite e misture tudo muito bem.

Deite o preparado num caçoilo de barro (previamente aquecido no forno) e leve a cozer em forno quente.

Pão de Ló de Amêndoas (Évora)

Este pão de ló de amêndoas é um doce tradicional da região de Évora, feito na altura da Páscoa.

O bolo é muito simples e com uma textura fofa e delicada; pode ser apresentado sem qualquer decoração ou com uma cobertura feita de açúcar em pó, a que se junta um pouco de leite e uns pingos de limão.

Ingredientes:

  • 1 pitada de sal
  • 250 g de açúcar
  • 250 g de amêndoas
  • 65 g de farinha
  • 7 ovos

Confeção:

Escalde as amêndoas com água a ferver, pele-as e enxugue-as com um pano, ralando-as depois finamente. Junte a farinha e misture.

Bata as gemas com o açúcar até obter um preparado muito fofo e que tenha dobrado de volume. Bata as claras em castelo com uma pitada de sal e incorpore-as no preparado anterior, alternadamente com as amêndoas.

Deite a massa numa forma redonda lisa e sem chaminé, muito bem untada e polvilhada. Se usar forno a gás, introduza a forma no forno frio, regulando-o para o máximo. Se o forno for elétrico, aqueça-o previamente a 200º C, introduza a forma e reduza imediatamente para 125º C.

Deixe cozer cerca de 45 minutos ou até que, introduzindo um palito, este saia seco