Category Archives: Dia de Reis

Manjar dos Reis do Mosteiro de Fiães

Este doce conventual, tipicamente natalício, foi criado pelos monges cistercienses do antigo Mosteiro de Fiães, situado no concelho de Melgaço, no extremo norte de Portugal.

Sendo um doce de origem conventual, não podiam faltar as gemas em abundância e a amêndoa. Trata-se de uma receita simples, que  permite fazer o aproveitamento de arroz cozido, resultando num doce que é um verdadeiro manjar.

Ingredientes:

  • 12 gemas
  • 125 g de amêndoas moídas
  • 125 g de arroz cozido
  • 300 ml de água
  • 500 g de açúcar
  • raspa de limão q.b.

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com a água e deixe ferver durante 2 minutos, até formar ponto de pasta (introduzindo uma colher, a calda corre facilmente, mas há  uma pequena camada de açúcar que adere).

Retire do lume e junte a amêndoa, o arroz escorrido e as gemas. Mexa bem.

Leve novamente ao lume para engrossar, mexendo sempre para não queimar.

Sirva o doce em taças ou numa travessa.

Broas de Mel e Nozes

Deliciosas e fáceis de fazer, estas broas não devem faltar à mesa no Natal. Em Portugal, há regiões em que é tradição fazê-las pelos Santos, havendo também quem as coma no dia de Reis.

Ingredientes:

  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 colher (sopa) de erva-doce
  • 1,5 colher (sopa) de farinha de milho
  • 250 ml de azeite
  • 250 ml de mel
  • 250 g de açúcar
  • 250 g de nozes
  • 500 ml de água
  • 500 g de farinha de trigo
  • açúcar e canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve ao lume a água, o açúcar, o azeite, o mel, a erva-doce e o sal, deixando ferver cerca de 15 minutos.

Retire e junte as farinhas, peneiradas juntas, misture bem e adicione as nozes picadas.

Leve o preparado novamente ao lume, mexendo até a massa se separar do fundo e das paredes da panela.

Molde a massa em bolinhas com formato das broas e risque-as, calcando com as costas de um garfo.

Disponha as broas em tabuleiros polvilhados com farinha e leve a cozer em forno bem quente (220º C) só o tempo necessário para ganhar numa ligeira crosta.

Ainda quentes, passe as broas por açúcar e canela.

Bolo-rei da Guia (Pombal)

Em Portugal, o bolo-rei é um dos doces mais característicos da época natalícia, que se prolonga até ao dia 6 de janeiro, dia de Reis. Neste dia, este é o bolo de excelência e cada vez mais famílias procuram seguir uma receita caseira. A que aqui lhe deixamos é típica da região do Pombal, no distrito de Leiria, sendo originária da Guia, uma localidade do concelho com diversas receitas tradicionais.

Ingredientes:

  • 1 cálice de rum
  • 100 g de açúcar
  • 130 g de frutos secos
  • 15 g de fermento do padeiro
  • 150 ml de leite
  • 2 gemas p/ pincelar
  • 250 g farinha de trigo
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 3 ovos grandes
  • frutas cristalizadas a gosto

Confeção:

Desfaça o fermento no leite morno e junte cerca de 50 g de farinha. Amasse até se desprender das mãos.

Tenda a massa numa bola, cubra e deixe levedar cerca de 30 minutos.

Enquanto espera que a massa levede, corte em pedacinhos as frutas cristalizadas e as nozes.

Coloque em monte a farinha restante, abra uma cavidade ao meio e coloque nela a farinha levedada, os ovos, a manteiga, o açúcar e um cálice bem cheio de rum.

Misture tudo com as pontas do dedos, envolvendo a farinha com os restantes ingredientes. Trabalhe a massa como se fosse pão, amassando energicamente.

Quando a massa se soltar das mãos acrescente as nozes e as passas.

Faça uma bola e coloque num alguidar. Tape e deixe levedar até duplicar o volume.

Forme uma coroa com a massa e enfeite-a com frutas.

Pincele com as gemas batidas, deixe em repouso mais 1 hora e leve a cozer em forno brando.

Bolo-rei de Nutella

A Nutella é um sucesso de vendas a nível mundial e de há uns anos a esta parte tem vindo a ser diversificada a sua utilização, superando em larga escala a sua tradicional utilização como creme para barrar o pão. Das diferentes receitas que se podem fazer com este creme de chocolate e avelãs, o bolo-rei é uma das que começa a ganhar destaque como forma de inovar o sabor e forma de apresentação deste doce tradicional de Natal.

Já aqui publicámos anteriormente a receita de Bolo-rei de Chocolate com Frutos e há também a versão somente com chocolate, muitas vezes optada, a par do Bolo Rainha, pelas pessoas que não gostam de frutas cristalizadas. No entanto, o sabor e envolvência característicos da Nutella tornam esta receita única, sendo apreciada pelos amantes deste famoso creme.

Ingredientes:

Confeção:

Comece por dissolver o fermento no leite.

Adicione 2 ovos e os demais ingredientes, amassando bem.

Tape o recipiente e deixe a massa levedar num local ameno durante durante 1h30.

Passado o tempo de levedura, espalhe a massa com um rolo de cozinha sobre uma superfície enfarinhada.

Barre toda a superfície com Nutella.

Enrolo delicadamente a massa e una as duas pontas, de forma a dar-lhe a tradicional forma de coroa.

Coloque a massa num tabuleiro untado e, dentro do círculo, coloque um copo ou outro recipiente redondo para que o bolo mantenha a forma pretendida.

Deixe a massa levedar durante 45 minutos.

Ligue o forno a 180° C.

Pincele a superfície do bolo com o restante ovo batido, polvilhe generosamente com açúcar em pó e pepitas de chocolate.

Leve a cozer durante 40 minutos ou até atingir o ponto de bolo (ao espetar um palito no centro da massa, este sai limpo e seco).

Retire o bolo-rei do forno e, se desejar,  polvilhe com mais um pouco de açúcar em pó.

Foto adaptada de http://paracozinhar.blogspot.pt/

Bolo-Rei (Estremadura)

Em Portugal, o bolo-rei é um doce de referência na época de Natal e dia de Reis. A receita, inspirada na Galette des Rois francesa, chegou a Portugal no século 19, tendo-se iniciado na região da Estremadura, mas foi popularizado pelas doceiras de Lisboa e Porto.

O bolo português começa a ser confecionado, por norma, a partir de novembro, encontrando-se nas confeitarias e pastelarias de todo o pais até meados de janeiro. Até há poucos anos atrás, era tradição que o bolo-rei contivesse uma fava e um brinde – quem comesse a fatia com a fava, sofreria uma penalidade (normalmente, oferecer um bolo-rei no ano seguinte); já quem recebesse o brinde, em geral uma figura de metal, era agraciado por todos. Por determinação da segurança alimentar, os bolos-rei comercializados deixaram de poder conter estes dois elementos na massa, mas na confeção caseira do bolo, muita gente se mantém fiel à tradição.

O bolo-rei da Estremadura é preparado com açúcar, água, farinha, fermento, casca de limão e laranja, ovos e frutas (secas e cristalizadas), maceradas em vinho do Porto. A massa é, por fim, enfeitada com frutas cristalizadas inteiras, torrões de açúcar, pinhões e nozes antes de ir ao forno. Depois de cozido, o bolo-rei é pincelado com geleia.

Ingredientes:

  • 1 colher (sobremesa) de sal grosso
  • 1 laranja
  • 1 limão
  • 100 ml de água tépida
  • 100 ml de vinho do Porto
  • 150 g de açúcar
  • 150 g de frutas cristalizadas + q.b. p/ a decoração
  • 150 g de frutos secos + q.b. p/ a decoração
  • 150 g de manteiga
  • 30 g de fermento biológico
  • 4 ovos + gema p/ pincelar
  • 750 g de farinha
  • geleia p/ a cobertura
  • torrões de açúcar p/ a decoração
  • 1 fava e 1 brinde (opcional)

Confeção:

Pique as frutas cristalizadas e mergulhe-as no vinho do  Porto, juntamente com os frutos secos.

Dissolva o fermento na água e junte 1 chávena de farinha (tirada do peso total). Misture e deixe levedar cerca de 15 minutos.

Entretanto, bata a manteiga, o açúcar e as raspas do limão e da laranja.

Junte os ovos, um a um, batendo entre cada adição, e a massa de fermento. Quando tudo estiver bem ligado, adicione a restante farinha, peneirada com o sal.

Amasse muito bem, de forma a ficar com uma massa macia e elástica. Se estiver muito rija, junte um pouco de leite morno.

Misture as frutas e volte a amassar, moldando, por fim, uma bola.

Polvilhe a massa com um pouco de farinha, tape com um pano e envolva a tigela num cobertor. Deixe levedar durante cerca de 5 horas.

Quando a massa estiver bem levedada (por norma, duplica o volume), mexa e molde-a novamente numa ou em várias bolas.

Coloque sobre um tabuleiro untado e faça um buraco no meio. Para impedir que a rodela feche, pode introduzir uma tigela no orifício.

Introduza a fava e o brinde (opcional), este embrulhado em papel vegetal. Deixe levedar durante mais 1 hora.

Pincele o bolo com gema e enfeite com frutas cristalizadas inteiras, torrões de açúcar, pinhões inteiros, meias nozes, etc.

Leve a cozer em forno bem quente. Depois de cozido, pincele com geleia diluída num pouco de água quente.