Category Archives: Doces de Festa

Leite-creme Conventual

O leite-creme é uma das sobremesas de referência da cozinha tradicional portuguesa. A receita é de origem conventual, havendo inúmeras variantes, todas elas com uma generosa quantidade de gemas. Além de ser perfeito para servir à sobremesa, o leite-creme fica sempre bem numa mesa de festa, sendo presença habitual à mesa nas celebrações do Natal.

A receita aqui apresentada, cujo nome reforça a sua origem, terá sido criada no Convento de S. Bento de Monção, no distrito de Viana do Castelo.

Ingredientes:

  • 1 litro de leite
  • 12 gemas
  • 300 g de açúcar + q.b. p/ queimar
  • 75 g de farinha de trigo
  • casca de 1 limão

Confeção do modo tradicional:

Ferva o leite com a casca de limão. Deixe amornar e retire a casca de limão.

Junte a farinha, em chuva, ao leite e mexa bem para não criar grumos.

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado.

Junte a gemada ao leite e leve ao lume, mexendo sempre com uma vara de arames, até engrossar.

Deite o leite-creme numa travessa ou em taças individuais.

Depois de frio, deite açúcar na superfície e queime com um ferro próprio para o efeito ou com um maçarico de cozinha.

Preparação na Bimby:

Junte todos os ingredientes e programe 12 min./ 90º/ vel. 2 ½.

Retire a casca do limão e deite numa travessa ou em taças individuais. Depois de frio, deite açúcar na superfície e queime o leite-creme com um ferro próprio para o efeito ou com um maçarico de cozinha.

Nota:

As quantidades apresentadas são as da receita tradicional; poderá, no entanto, reduzir a quantidade de gemas e de açúcar, atendendo ao seu gosto pessoal.

SUGESTÃO:

Faça o aproveitamento das claras preparando um Pudim Molotov ou os deliciosos Amores de Azeitão.

Chila Dourada

Esta receita, de origem conventual, é verdadeiramente maravilhosa, sendo excelente para servir na ceia de Natal ou para saborear à sobremesa. É muito fácil de fazer e a preparação é rápida (cerca de 30 minutos).

Já experimentou esta deliciosa receita da cozinha portuguesa?

Ingredientes:

(para 6 pessoas)
  • 500 ml de leite
  • 600 g de doce de chila
  • 8 gemas
  • canela p/ polvilhar

Confeção:

Leve ao lume o doce de chila e o leite, mexendo sempre até o leite evaporar quase por completo e ficar o preparado com um aspeto cremoso. retire do lume.

Num recipiente à parte, bata as gemas e misture um pouco do creme de chila.

Junte o preparado com as gemas ao doce de chila que se encontra no tacho, envolva bem para ligar. Coloque de novo em lume brando, somente para apurar, mexendo sempre para as gemas não cozerem.

Deite a chila dourada numa travessa ou prato de servir e polvilhe com canela a gosto.

SUGESTÃO:

Faça o aproveitamento das claras, usando-as na preparação do Bolo Branco (veja a receita AQUI).

Foto retirada de http://cozinhadazana.blogspot.pt/

Barriga de Freira

Esta deliciosa sobremesa, como o próprio nome indica, faz parte da doçaria conventual. A receita foi criada por freiras dos conventos portugueses do século XVII, sendo um dos doces mais tradicionais de Portugal e uma presença quase obrigatória na mesa de Natal de muitas famílias.

Ingredientes:

Para o doce
  • 100 g de amêndoas ralada
  • 12 gemas
  • 200 ml de água (200 g se for pesada na Bimby)
  • 500 g de açúcar
  • 50 g de miolo de pão
Para a cobertura e decoração
  • canela em pó p/ polvilhar
  • amêndoa p/ decorar (opcional)

Confeção Tradicional:

Rale o miolo do pão e reserve. A amêndoa poderá ser ralada finamente (sem pele) na altura da confeção do doce ou comprada já moída.

Leve a água com o açúcar ao lume e deixe ferver cerca de 2 minutos até ficar em ponto de pérola (verifica-se o ponto deixando correr um pouco de calda de uma colher; esta corre em fio e fica com uma bola suspensa na ponta). Retire do lume e deixe arrefecer um pouco.

Junte a amêndoa e o pão à calda e leve novamente a ferver em lume brando, mexendo sempre. Quando levantar fervura, mantenha mais um pouco no calor (cerca de 5 minutos).

Retire uma porção do preparado para uma taça e envolva nela as gemas, levemente batidas, mexendo rapidamente para que não cozam.

Junte o preparado das gemas à restante calda e leve novamente ao lume. Deixe ferver, mexendo sempre, até atingir ponto de estrada fraco (ao passar uma colher na calda, forma-se uma espécie de estrada que deixa ver o fundo do tacho).

Retire do lume e coloque num prato ou taças de servir. Sirva a barriga de freira fria, polvilhada com canela e decorada a gosto, com amêndoa.

Preparação na Bimby:

Coloque o pão no copo e rale durante 10 seg. / vel. 9. Retire e reserve.

Rale a amêndoa (sem pele) do mesmo modo que o pão e reserve.

Coloque a água e o açúcar no copo e aqueça 25 min. / Varoma / vel. 1.

Retire o copo da base e deixe a calda arrefecer, cerca de 15 minutos, até aos 60º C.

Junte a amêndoa e o pão à calda e programe 8 min. / Varoma / vel. 1.

Programe mais 15 min. / Varoma / vel. 1 e adicione as gemas, ligeiramente batidas, pelo bucal da tampa.

No fim do tempo, retire de imediato do copo e coloque num prato de servir ou distribua por taças individuais. num prato ou taças de servir.

Sirva a barriga de freira fria, polvilhada com canela e decorada a gosto, com amêndoa.

SUGESTÃO:

Prepare um Pudim Molotov para aproveitar as claras que não usou na Barriga de Freira.

Foto: http://www.teleculinaria.pt/

Broas de Batata

Esta é uma receita muito apreciada em Portugal, sendo feita tradicionalmente no dia de Todos os Santos e no Natal. A massa leva especiarias e frutos secos, havendo também que adicione frutas cristalizadas.

Uma daquelas receitas tradicionais que me lembram os tempos de infância, sendo que a minha mãe as fazia quase sempre pelos Santos. É bom matar saudades!… 🙂

Ingredientes:

  • 1 colher (café) de canela
  • 1 colher (café) de erva-doce
  • 100 g de amêndoas
  • 100 g de nozes
  • 100 g de passas
  • 2 ovos
  • 25 g de fermento biológico
  • 300 g de açúcar
  • 400 g de farinha de trigo
  • 500 g de puré de batata
  • frutas cristalizadas a gosto (opcional)

Confeção:

Misture a farinha com o fermento, o puré de batata ainda morno, o açúcar e os ovos. Amasse.

Adicione os frutos secos, as especiarias e, se desejar, as frutas cristalizadas, envolvendo bem.

Coloque a massa numa superfície lisa, polvilhada com bastante farinha.

Ligue o forno a 220º C.

Com as mãos enfarinhadas, retire bolas de massa e dê-lhes a forma desejada. A massa fica muito pegadiça, o que é normal.

Coloque as broas num tabuleiro polvilhado com farinha e leve a cozer cerca de 40 minutos.

NOTA:

Estas broas podem ser feitas com algum tempo de antecedência e, guardadas em lugar fresco, podem durar 1 mês aproximadamente.

Tarte de Abóbora

A tarte de abóbora é uma receita tradicional muito fácil de preparar e bastante saborosa, servida sobretudo durante o outono e inverno. A base da tarte é um creme de abóbora, sendo geralmente aromatizada com noz-moscada, canela e gengibre.

Esta tarte é conhecida e apreciada em todo o mundo, ganhando especial relevância nos Estados Unidos e Canadá, pois é um dos doces tradicionalmente servido à mesa no dia de Ação de Graças e no Natal.

Ingredientes:

  • ½ chávena de açúcar mascavado
  • ½ colher (chá) de noz-moscada
  • ½ colher (chá) de sal
  • 1 chávena de abóbora
  • 1 colher (chá) de canela
  • 1 colher (chá) de gengibre em pó
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 2 colheres (sopa) de melaço
  • 2 ovos
  • massa areada q.b.
  • chantilly p/ decorar (opcional)

Confeção:

Corte a abóbora em pedaços pequenos e ponha-os a cozer em água a ferver.

Bata os ovos e misture todos os ingredientes, à exceção da massa. Estenda esta na tarteira e deite sobre ela o preparado anterior.

Leve a cozer em forno previamente aquecido a 250º C durante 10 minutos.

Reduza a temperatura para 160º C e deixe cozer durante mais 40 minutos. Após esse tempo, verifique a cozedura com um palito.

Se desejar, decore com chantilly.