Category Archives: Coberturas

Geleia de Marmelo

Com a chegada do outono, chegam os frutos típicos da estação, como os marmelos, e a confeção de doces tradicionais que nos dão mais aconchego nos dias de frio. A geleia é um desses doces, feita normalmente aquando à marmelada, para fazer o aproveitamento dos caroços e/ou das cascas dos marmelos. Caracteriza-se pelo seu aspeto semitransparente e consistência gelatinosa, associados ao seu sabor apurado e delicioso.

Excelente para saborear com pão, com uma bolacha, um bolo ou até, para os mais gulosos, para saborear às colheradas… A geleia pode também ser usada para pincelar bolos ou tartes de fruta, conferindo-lhes um aspeto brilhante. Qualquer que seja a sua utilização, a geleia sabe tão bem!

Ingredientes:

  • aproveitamento das cascas e/ou dos caroços do marmelo
  • água q.b.
  • 1 kg de açúcar por cada litro de líquido obtido após a cozedura
  • 1 ou 2 paus de canela (opcional)

Confeção:

Coloque todos os caroços/cascas dos marmelos num tacho e junte água até os cobrir.
Deixe ferver, cerca de 30 minutos, até reduzir bastante a água.
Terminada a fervura, coe a mistura numa gaze ou num passador de rede muito fina,  fazendo pressão com a colher de pau para extrair todo o suco gelatinoso da fruta.
Meça o líquido obtido, limpo de impurezas. Misture-o com o peso equivalente em açúcar e leve novamente ao lume a engrossar, em lume médio, até atingir a espessura desejada.
Querendo, junte os paus de canela para aromatizar a geleia.
O doce estará pronto quando, ao retirar um pouco para um prato, abrir estrada ao passarmos um garfo ou colher pelo meio.
Quando estiver pronta, deite a geleia em frascos próprios para compota, devidamente esterilizados.
Deixe arrefecer e, antes de tapar o frasco, cubra a parte superior com um pouco de açúcar (o que evita a formação de bolores).
Acondicione muito bem os frascos e guarde-os em sítio fresco e arejado.
Sugestão:
Faça lembranças personalizadas para os seus familiares e amigos, aproveitando os frascos de geleia caseira. Verá que eles vão adorar!

Como fazer Calda de Chocolate

A calda de chocolate é usada muitas vezes como cobertura de bolos ou outros doces, havendo a indicação sobre o modo de preparação na respetiva receita. No entanto, podemos querer usá-la isoladamente, para regar um bolo que tenhamos já feito ou para dar mais sabor a uma sobremesa e, por isso, é vantajoso ter a receita caseira à mão. Ela aqui está, pronta para fazer e usar…

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 3 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 2 colheres (sopa) de manteiga

Confeção:

Ponha os ingredientes em lume brando, misturando sempre. Quando atingir o ponto de estrada (ao passar a colher, abre-se um veio, tipo estrada, que permite ver o fundo da panela) está pronto.

Deita a calda de chocolate sobre o bolo ou doce em que a usar.

Dica:

Se a usar como cobertura de um bolo, poderá cortá-lo em quadradinhos e deitar a calda sobre cada um – deverá partir o bolo somente quando ele já estiver frio, caso contrário, pode desmanchar-se.

Como fazer Massa de Pastilhagem

Com a crescente tendência do cake design foram surgindo diversas pastas e massas para conseguir fazer bolos com decorações cada vez mais reais, atrativas e ousadas. A massa de pastilhagem, também conhecida somente por pastilhagem, é uma das que permite criar magníficos efeitos para decoração de bolos, sendo a receita muito parecida com a pasta americana. A semelhança é tal que as duas chegam a ser confundidas, embora tenham texturas e aplicações diferentes:

  • A massa americana destina-se à cobertura de bolos, sendo a pastilhagem usada para a criação de figuras decorativas (flores, bonecos, enfeites e objetos diversos).
  • Como não leva gordura na sua confeção, a massa de pastilhagem, ao contrário da pasta americana, fica muito dura quando seca e é isso que lhe permite ser usada no fabrico dos elementos de decoração de bolos.

Como a generalidade das pastas de açúcar, esta massa não suporta humidade, pelo que não deve ser guardada no frigorífico | geladeira. Depois de pronta, seca muito rapidamente e as peças feitas com elas ficam duras e mantêm-se firmes.

Há diversas receitas para fazer pastilhagem, umas com gelatina, outras com claras de ovo, levando quase todas elas CMC (cola alimentar para fixar as peças decorativas e uma substância espessante que ajuda a massa a secar). Apresentamos duas receitas diferentes, para que possa preparar aquela que mais se adequa ao seu gosto e/ou aos ingredientes que tem disponíveis.

1. Receita com gelatina

Ingredientes:

  • 1 colher (chá) de CMC
  • 100 ml de água
  • 1 saqueta de gelatina neutra
  • 750 g de açúcar em pó | açúcar de confeiteiro
  • maisena q.b. p/ trabalhar a massa

Confeção:

Misture o CMC com o açúcar e reserve.

Hidrate a gelatina na água e leve a derreter em banho-maria.

Deite a gelatina, ainda quente, sobre a mistura do açúcar com o CMC e vá ligando até obter uma massa homogénea.

Polvilhe uma superfície lisa com maisena e amasse o preparado até que fique maleável.

Como a massa seca muito depressa, vá trabalhando pequenas porções à medida do que necessita para modelar as peças. Guarde a massa restante em sacos plásticos fechados.

2. Receita com claras

Ingredientes:

Confeção:

Deite as claras na batedeira e bata-as durante 1 minuto.

Acrescente 2  chávenas | xícaras do açúcar e os demais ingredientes.

Bata de forma a misturar bem os ingredientes (a massa fica pegajosa).

Coloque o preparado numa superfície lisa, polvilhada com um pouco do açúcar e vá adicionando o restante à medida que a vai trabalhando, até ter a consistência necessária para abrir com o rolo e trabalhar os enfeites desejados.

DICAS:
  • Como esta massa seca muito depressa, vá trabalhando pequenas porções à medida do que necessita para modelar as peças. Guarde a massa restante em sacos plásticos fechados, para evitar o contacto com o ar.
  • O tempo de secagem das peças depende de seu tamanho e pode variar de poucas horas até um dia.
  • Não manuseie as peças antes de estarem totalmente secas, para que não se partam.
  • À medida que modela as peças, deixe-as a secar sobre papel alumínio. Se a massa secar demais durante a manipulação, humedeça as mãos e massaje-a com cuidado para não a encharcar e fazer perder o ponto.
  • Se desejar aplicar cor, aplique corante alimentar em gel em pequenas porções de massa, de acordo com a tonalidade e tamanho das peças que está a trabalhar.
Foto retirada da internet

Como fazer Pasta Americana

A pasta americana, também designada covapaste, consiste numa pasta de açúcar usada na cobertura de bolos artísticos, sendo muito usada em bolos de aniversário, de casamento e bolos temáticos. A sua elasticidade característica torna-a muito simples de trabalhar, com uma consistência idêntica à plasticina, permitindo fazer modelagem para dar mais vida e cor aos bolos.

A pasta americana é frequentemente confundida com o fondant, o massapão e a massa de pastilhagem, mas todos eles são diferentes:

  • Em relação ao massapão, usado na confeção do famoso doce fino do Algarve, a principal diferença reside no facto de a pasta americana não levar amêndoa, que é a base do massapão. Por essa razão, há uma diferença no que se refere à consistência, textura e cor – sendo a pasta americana naturalmente branca e o massapão tem uma tonalidade amarelada.
  • fondant é mais líquido e brilhante do que a pasta americana, sendo perfeito para bolos delicados que necessitam de muitos recortes pois disfarça facilmente as emendas feitas. Relativamente a ele, a pasta americana caracteriza-se por ser mais densa, opaca e elástica, sendo, por isso, mais fácil de modelar.
  • A massa de pastilhagem é semelhante à pasta americana, mais caracteriza-se por ser mais seca e firme. Por isso mesmo, não é usada para a cobertura de bolos, mas sim para fazer os elementos decorativos – flores, bonecos, casas…

Veja como fazer a receita caseira da pasta americana, que também encontra à venda, já pronta, e aceita qualquer tipo de corante alimentar.

Ingredientes:

(para cobrir um bolo até 20 cm de Ø)
  • 1 colher (chá) de essência de amêndoa ou baunilha
  • 1 colher (sopa) de gelatina neutra
  • 1 colher (sopa) de glucose
  • 1 colher (sopa) de margarina para cozinhar
  • 3 colheres (sopa) de água
  • 3½ chávenas de açúcar impalpável (cerca de 500 g)

Confeção:

Hidrate a gelatina na água e deixe-a espessar durante alguns minutos.

Leve a derreter em banho-maria até a gelatina dissolver bem.

Acrescente a glucose e a margarina, misturando até atingir uma consistência homogénea.

Adicione a essência e misture até ficar tudo bem integrado.

Retire do lume e deixe arrefecer.

Sobre uma superfície lisa, coloque o açúcar em monte e abra uma cavidade no centro. Não o açúcar todo de uma vez, faça o monte para a mistura inicial e vá adicionando mais açúcar à medida que for necessário para dar consistência à pasta.

Deite a mistura reservada, incorporando-a com as pontas dos dedos até ficar uma massa uniforme. Aos poucos, a mistura começará a adquirir consistência suficiente para que comece a trabalhá-la com as mãos.

Amasse a pasta até ela se soltar das mãos e atingir uma consistência elástica e firme que permita abrir com rolo (como a massa do pão).

Polvilhe um pouco de açúcar impalpável na superfície de trabalho e estique a pasta de forma a ter um diâmetro suficiente para cobrir o bolo e com espessura de cerca de 3 milímetros.

Coloque a pasta americana sobre o bolo. Passe com um alisador, para eliminar as imperfeições e dar o efeito completamente liso.

Com um cortador de pizza (ou uma faca), corte a massa excedente das bordas do bolo e tê-lo-á pronto para decorar.

Esticar e cobrir o bolo com pasta americana

NOTA:

A pasta americana é naturalmente branca. Se desejar dar-lhe, faça-o somente no momento de uso, com corante alimentar em gel, nas quantidades necessárias.

DICAS:
  • Use a pasta preferencialmente logo após a sua confeção ou em menos de 15 minutos. Caso contrário, ela pode rachar.
  • Se não usou a totalidade da pasta americana que preparou, poderá guardá-la em sacos plásticos bem apertados ou envolta em película aderente, tirando o máximo de ar possível (o ar faz a pasta estragar-se). Guarde num recipiente bem fechado, à temperatura ambiente, por um período de 2 semanas (poderá manter-se boa até 1 mês após a sua confeção, desde que esteja bem acondicionada, mas o período de referência são as 2 semanas).
  • A pasta americana é sensível à humidade, pelo que não pode ser guardada no frigorífico | geladeira. Pela mesma razão, também não deve ser aplicada por cima de um doce gelado ou frio.
  • Para reutilizar a pasta que reservou, ponha-a no micro-ondas durante 5 segundos (ou aqueça em banho-maria), para amolecer um pouco. Acrescente ½  colher (café) de margarina que usou para fazer a pasta pela primeira vez e trabalhe-a até ter o aspeto inicial.
  • Se a pasta rachar, esfregue a zona afetada com a ponta dos dedos untada com margarina (nunca recorra ao uso de água!). O calor da mão e a gordura ajuda a selar a pasta.
Fotos retiradas da internet

Como fazer Fondant

O fondant, cujo nome é de origem francesa e significa “que se derrete”, consiste numa pasta de açúcar usada para fazer a cobertura bolos, dando aos doces uma aparência elegante e profissional. Tem uma textura mais espessa que o glacê, mas menos densa e elástica do que a pasta americana, permitindo disfarçar facilmente as emendas feitas.

Pode ser comprado já pronto, mas fazer fondant caseiro não é tão complicado como possa parecer. Pode fazer desenhos com ele, utilizando o saco de pasteleiro | saco de confeiteiro ou os cortadores de biscoitos, mas tenha em atenção que esta pasta endurece rapidamente, pelo que deve ter uma aplicação imediata.

Há duas formas de fazer fondant, uma mais líquida – usada basicamente para a cobertura dos bolos – e outra, um pouco mais densa, que  permite ser modelada. Neste artigo, apresentamos os dois modos de preparação do fondant e deixamos dicas sobre o seu modo de conservação e aplicação.

1. Versão mais líquida

Ingredientes:

  • ½ chávena | xícara (chá) de leite
  • ½ kg de açúcar em pó | açúcar de confeiteiro
  • 1 colher (chá) de manteiga

Confeção:

Junte a manteiga e o leite e leve ao lume em banho-maria.

Acrescente o açúcar aos poucos, mexendo sempre, e deixe cozinhar durante 10 minutos ou até que ficar líquido. A textura deve ser adequada para aplicar sobre o bolo e cobri-lo, sem escorrer.

Retire do lume e deite o fondant sobre o bolo, do centro para fora, e distribua-o com movimentos circulares. Retoque dos lados com uma espátula.

2. Versão mais densa

Ingredientes:

  • 1 kg de açúcar
  • 300 ml de água
  • algumas gotas de sumo de limão

Confeção:

Leve o açúcar ao lume com a água e deixe derreter, aumentando progressivamente o calor e limpando a espuma escura que vem à superfície, até obter uma calda em ponto assoprado (soprando através dos furos da escumadeira, formam-se pequeninas bolas idênticas às bolas de sabão).

Retire do lume e deite a calda sobre uma superfície fria e lisa.

Deite algumas gotas do sumo de limão (no máximo 10 gotas, para não deixar o fondant mais líquido do que o desejado) e trabalhe a pasta com uma espátula em movimentos de vaivém até se tornar branca e sólida.

DICAS:
  • Pode guardar o fondant no frigorífico | geladeira por um período de tempo até 2 meses, dentro de um recipiente hermético. Na altura de o utilizar, leve a derreter em banho-maria e aplique-o de seguida.
  • Depois de pronto, o fondant não pode ser aquecido em excesso, somente amornado o suficiente para amolecer e poder ser usado.
  • Se usar o fondant para modelar, prefira a receita com água, pois a que é feita à base de leite, se exposta a ambientes húmidos, pode vir a suar e amolecer.
  • Pode juntar corantes ou aromatizar com rum ou Kirsch.
  • As gotas de limão ajudam o fondant a ficar branquinho.