Category Archives: Dicas de Cozinha

Como Organizar uma Festa de Natal Económica

O Natal é uma altura do ano por que ansiamos e que idealizamos com vários meses de antecedência. É nesta época que muitas famílias se reúnem e reencontram, sendo, em muitos casos, o único momento em que se conseguem reunir todos.

Associada a este reencontro, está a fartura de comida e doces, marcando a alegria do acolhimento com o que há de melhor para servir à mesa. A abundância e o desperdício acabam por ser realidades que pouco têm a ver com a época natalícia, mas que são uma consequência da fartura que há nesta quadra festiva.

Estando nós a passar por um período de crise, há que repensar a forma de organizar a festa de Natal em que os nossos familiares e/ou amigos se sintam calorosamente acolhidos, sem termos de gastar muito dinheiro ou gerar muito desperdício.

Há alguns princípios que podem ser seguidos. Acima de tudo, não encomende a comida ou doces,  pois sai-lhe muito mais caro; faça-os em casa e, no final, verá que valeu realmente a pena.

Deixamos-lhe algumas dicas e sugestões que poderá ter em conta para conseguir organizar uma festa de Natal económica e com muita Doçura.

Faça bolachinhas e biscoitos de Natal

Aproveite a ocasião para criar um momento de partilha e confraternização. Leve os seus filhos para a cozinha e façam juntos biscoitos e bolachinhas de Natal, com as quais poderá presentear os seus convidados.

Algumas receitas que pode preparar…

Bolachas de Gengibre (Suécia)

Anéis de Melaço (Malta)

Tartes de Ameixa (Finlândia)

Biscoitos de Baunilha (Áustria)

Faça as sobremesas em casa

Nesta altura, as sobremesas de compra tendem a encarecer muito. O melhor será fazer receitas caseiras tradicionalmente associadas a esta quadra, económicas e que não são muito trabalhosas, como o arroz-doce, a aletria ou os pudins.

Há receitas que permitem fazer o aproveitamento de ingredientes, como o pão, com o qual poderá fazer pudim de pão e/ou as famosas rabanadas. A salada de frutas é uma sobremesa bastante económica, que sabe sempre bem e que acaba por desenjoar de todos os doces que possa ter à mesa nesse dia.

Deixamos-lhe algumas sugestões de sobremesas que pode fazer:

Arroz-doce à Portuguesa

Arroz-doce de Natal

Aletria Tradicional

Faça os fritos de Natal em família

Sendo uma festa somente de família, poderá fazer os fritos de Natal no dia 24. Lembro-me de, em criança, a minha mãe fazer questão de terminar as filhós e os coscorões com todos nós, tendo cada um uma tarefa de acordo com a idade – a nós, os mais novos, competia-nos envolver os fritos no açúcar e canela. E como nos deliciávamos todos a preparar os doces em família!

Filhós de Natal

Filhós de Forma

Azevias de Batata-doce

Azevias de Grão

Rabanadas com Mel

Coscorões

Sonhos de Abóbora

Faça a experiência de saborear um bolo-rei ou bolo rainha caseiros

O bolo-rei é um dos doces de referência no Natal, mas tendemos a comprá-lo por uma questão de facilitismo ou até por pensarmos que é demasiado difícil para fazer em casa. Nada disso! O que é preciso é pôr mãos à obra e, no final, verá que fica surpreendido com o resultado…

Poderá aproveitar as sobras do Natal e, na passagem de ano fazer rabanadas de bolo-rei. São deliciosas!

Deixamos-lhe algumas ideias práticas para fazer os seus bolo-rei ou rainha caseiros:

Como fazer Fruta Cristalizada

Bolo-Rei

Bolo Rainha

Roscon de Reyes (Espanha)

Faça da festa de Natal um momento de verdadeira partilha

Caso tenha uma família grande, peça que cada um traga algo para partilhar – salgados, entradas, uma sobremesa, doces… Há sempre alguém na família que tem mais jeito para fazer determinada  receita e, desta forma, poderão deliciar-se com a partilha do que cada um trouxe.

Clique na imagem que se segue e descubra todas as receitas de Natal que temos publicadas. Poderá tirar ideias, inovar, fazendo receitas de outros países, ou definir com os restantes elementos o que cada um traz para a festa…

Doces de Natal

No final, se sobrarem comida ou doces, distribua por todos e, assim evitará, desperdícios.

Dicas e Segredos para fazer Bolos Deliciosos

Deixamos-lhe algumas dicas úteis para confecionar bolos deliciosos. Separamos cada uma delas pelas diferentes fases e aspetos da confeção – preparação dos ingredientes, confeção da massa, condições do forno e cozedura – para que seja mais fácil identificá-las.

1. Preparação:

  • Peneire a farinha e o açúcar, para os tornar mais leves e eliminar pequenos torrões.
  • Retire os ingredientes do congelador para o frigorífico com antecedência.
  • Se costuma guardar a manteiga no frigorífico,  retire-a com antecedência, cerca de 30 minutos antes, pois será mais fácil de trabalhar e ficará com uma textura mais cremosa. Desta forma, além de ser mais fácil de ligar com os restantes ingredientes, proporcionará mais suavidade à massa.
  • Os ovos devem igualmente ser retirados do frio com 30 minutos de antecedência, sendo que as claras, trabalhadas à temperatura ambiente, ficam mais estruturadas.

2. A massa:

  • Para conseguir um bolo bem fofinho, substitua a manteiga/margarina pela mesma quantidade de óleo.
  • A massa deve ter sempre um tempo de descanso antes de ser estendida.
  • Antes de estender a massa, polvilhe com farinha a superfície de trabalho. Deverá pôr pouca farinha, caso contrário a massa absorve-a, alterando a sua consistência. Polvilhe igualmente o rolo da massa e, se necessário, as mãos também.
  • Para forrar várias formas ao mesmo tempo, coloque-as lado a lado, cubra-as com uma camada de massa e passe com o rolo por cima.
  • Não é obrigatório enfarinhar a forma depois de untada, mas a farinha facilita o processo de desenformar o bolo, além de deixar uma bonita crosta dourada.
  • Para fazer um bolo alto e fofo não é imperativo usar fermento. Ovos, açúcar e farinha podem ser os únicos ingredientes necessários para o conseguir, sendo o pão de ló um bom exemplo disso mesmo. A leveza da massa é assegurada pelas claras, pois têm uma proteína que, ao ser batida, absorve o ar e aumenta de volume. No forno, em contacto com o calor e com a farinha de trigo, esse ar expande-se, originando as típicas perfurações na massa do bolo.
  • Bater as claras em castelo, mesmo que a receita não o recomende, melhora a textura do bolo. No entanto, a incorporação na massa deve ser feita de forma delicada, caso contrário quebram-se as bolhas de ar das claras, impedindo o bolo de crescer adequadamente.
  • O sal ajuda a clara a aerar mais rapidamente, mas é preciso ter cuidado com o seu emprego, porque provoca desidratação, levando a que a clara perca a textura nevada com facilidade.
  • Em algumas receitas, o fermento em pó é substituído por bicarbonato de sódio, pois entre os ingredientes há um ácido (leite, iogurte, sumo de limão ou outro) que reage com a base (bicarbonato), libertando bolhas de dióxido de carbono que fazem a massa crescer. Nestes casos, o bolo não vai cresce muito, mas a massa fica leve.
  • Depois de aberto, o fermento pode ser usado num período de 3 meses, mesmo estando dentro da validade. Ao fim desse tempo, em contacto com a humidade, tende a perder a sua eficiência e esta é uma das razões por que os bolos por vezes não crescem. Para saber se o fermento está ativo, deite uma colher num copo com água e, se a mistura não borbulhar bastante, é sinal que perdeu a força.
  • O facto de o bolo não crescer também se pode dever a fatores como a temperatura do forno, por estar frio, ou o fermento ser acrescentado muito tempo antes de a massa ir ao forno.
  • A farinha de trigo com fermento não é a mais indicada para a confeção de bolos pois, como referimos anteriormente, o fermento deve ser um dos últimos elementos a serem acrescentados à massa antes de ir ao forno.
  • No caso dos bolos recheados, a massa deverá ser pouco porosa, a fim de não ficar empapada. Uma boa dica é polvilhar uma camada de açúcar em pó antes de deitar o recheio sobre a massa.

3. O forno:

  • Pré-aqueça o forno antes de colocar a massa para que o calor ative o fermento, fazendo a farinha reagir com demais ingredientes e aprisionar o ar, dando leveza à massa.,
  • Deite a massa só até 2/3 da altura da forma para que o bolo possa crescer sem transbordar.
  • Salvo indicação em contrario, a forma deve ser colocada sobre a grelha, a meio do forno, para haver uma melhor circulação do calor.

4. A cozedura:

  • Se a superfície de um bolo começar a ficar escura antes de terminar o tempo de cozedura, cubra-o com uma folha de alumínio.
  • Terminando o tempo da cozedura indicado nas receitas, espete um palito no centro para verificar a cozedura; se sair seco a massa está cozida, se o palito sair húmido, a massa precisa de cozer mais algum tempo.
  • Salvo outra indicação, desenforme o bolo sobre uma rede para arrefecer mais depressa. O ideal é deixar o bolo arrefecer cerca de 15 minutos, colocando a forma sobre a grade, para que o ar possa circular na base, arrefecendo-o uniformemente.
  • Enquanto está quente, a estrutura do bolo é frágil e quebradiça, pelo que não o deixando arrefecer antes de desenformar poderá comprometer a sua estrutura.
  • Para que o bolo não abata ou se desmanche quando é retirado do forno, deve deixá-lo cozer na totalidade antes de o retirar – daí ser importante verificar o ponto com o palito.  Além disso, a massa precisa de um tempo de estabilização, pelo que se o bolo for tirado do forno antes do tempo, a mudança brusca de temperatura ao entrar em contacto com o ar frio, faz com que as bolhas de  ar no seu interior diminuam e, havendo uma redução da pressão interna, o bolo abate rapidamente.

Além das dicas aqui apresentadas, caso conheça ou tenha desenvolvido outras técnicas, poderá deixá-las nos comentários ou, se desejar, enviar-nos uma mensagem para que as possamos adicionar ao artigo.

Biscoitos com Massa de Ovos

Prepare diversos biscoitos com a massa de ovos, muito versátil e funcional para vários tipos de bolo. Uma receita simples e ótima para obter uma massa macia e moldável para fazer biscoitos com diferentes formas, usando somente gema, manteiga, farinha e açúcar. Depois é só saborear o seu chá e acompanhar com um delicioso biscoito…

Características e Uso do Mel na Culinária e Doçaria

O mel é consumido pelo Homem desde sempre, o que faz dele um alimento mítico, rodeado de lendas que lhe atribuem diversos benefícios terapêuticos e nutritivos.

Como fazer Massa Brick

A massa brick tem uma utilização muito versátil, podendo ser aplicada em receitas doces ou salgadas. Consiste numa espécie de massa folhada, muito fina e quebradiça, com origem na Tunísia, também conhecida como malsouka. Em traços gerais, é idêntica à massa filo, mas com uma textura mais porosa.